Pages

"...pois este também é filho de Abraão." - Parte 1

Queridos visitantes, esta mensagem o Senhor fez chegar ao meu coração em ocasiões distintas, focalizando pontos diferentes da passagem referida, por isso, decidi escrevê-la aqui em duas partes. Tenham uma boa leitura e que o Espírito do Senhor fale fortemente em vossos corações.


Aprendendo com Zaqueu, o publicano. (Lucas 19. 1- 10)

A Palavra de Deus diz que Deus criou os loucos para confundir os sábios, e as coisas que não são para confundir as que são (1 Coríntios 1.27-29).

Nós temos o hábito de tirar conclusões sobre as pessoas a partir daquilo que vemos nelas, e de acordo com a nossa convivência com elas vamos criando uma ideia mais clara de quem são as pessoas que nos cercam.

Nunca poderemos conhecer alguém inteiramente, e isto por que não conhecemos nem a nós mesmos de forma completa, sendo assim, é impossível desnudar o nosso ser a quem quer que seja; exceto a Deus. Sempre iremos nos surpreender (Salmos 139).
Quando Davi estava diante de Samuel, este último só viu um garoto ruivo, magricela, simpático, mas com nenhuma característica daquelas que se encontra num outro rei.

Talvez o rei que Samuel procurava, estivesse ali, entre os irmãos de Davi, mas o rei que Deus queria pôr sobre Israel estava fazendo poesias no campo, enquanto cuidava fielmente das ovelhas de seu pai.

Quando lemos o Novo Testamento, encontramos duas histórias completamente diferentes; Um jovem cumpridor da lei, e de muitas qualidades, e um baixinho, cobrador de impostos sem valor algum para o povo de Deus.
O primeiro se aproxima de Jesus elogiando-o, "bom Mestre..." o que por Jesus é logo reprovado. Depois ele revela o seu interesse em desfrutar de vida eterna, mas logo percebe que está muito apegado a esta vida para trocá-la por outra qualquer. Este jovem revelou suas prioridades quando Jesus mandou que vendesse tudo o que tinha e desse aos pobres. Poderemos falar mais deste rapaz, numa outra oportunidade.
Pouco tempo depois, a Palavra cita outro homem, Zaqueu, o publicano.

Zaqueu não tinha muito do que se gabar, e não ousou sequer tentar romper a multidão onde Cristo estava, pois sabia que não teria chance com a sua pequena estatura.

A partir daí, começo a extrair algumas lições muito importantes, pois Zaqueu superou as dificuldades e não teve vergonha de fazer o que ninguém fazia. Ele não se vitimizou, não culpou a Deus pela sua dificuldade, mas se concentrou em encontrar uma solução para estar com Jesus.

Zaqueu poderia muito bem desistir de encontrar-se com Cristo, afinal, tudo conspirava contra ele, mas a Bíblia diz que ele subiu numa figueira brava, e esta, possui espinhos em seu tronco. Diferente deste homem de fé, vemos muitas pessoas que deixam de ir à casa de Deus por causa dos espinhos que envolvem a caminhada rumo ao Senhor. Não se importe se no lugar onde Deus te direcionou a estar, as pessoas não te valorizam, ou façam comentários chatos sobre você. Estas mesmas pessoas vão ter que ver Jesus entrando na sua vida, curando a sua família, e fazendo milagres através de você, em nome de Jesus.

Zaqueu sendo um homem de posição, não se envergonhou de subir numa árvore como um garoto. Subiu e ficou aguardando a passada do Mestre. Se quisermos nos encontrar com Cristo, precisamos deixar de lado a vergonha e a timidez.
Alguém disse certa vez: "se quiser ser diferente da maioria, faça o que a maioria não faz".

Por que, dentre uma multidão, só Zaqueu foi chamado pelo nome e recebeu a visita do Senhor? Por que, dentre uma enorme multidão que apertava a Jesus, apenas uma mulher conseguiu "extrair" virtude do Mestre?

Zaqueu não se envergonhou de deixar sua posição e subir na árvore para ver Jesus, e Jesus não se envergonhou de entrar na casa de Zaqueu, mesmo sendo criticado pelos fariseus.

Quando nos esforçamos para ver a Jesus, não nos envergonhamos de deixar tudo para trás, e quando renegamos o nosso ego pra estar com Ele, ele não apenas visita nossa casa, mas faz morada eterna em nosso coração.

Às vezes é preciso deixar de lado a pastinha de doutor, o diploma da faculdade, os títulos que outros dão a você, para poder se encontrar verdadeiramente com Jesus.

O jovem rico, embora cumprisse os mandamentos, e fosse perfeito aos olhos dos homens, não tinha um coração entregue a Deus.
Zaqueu, embora tido como pecador tinha no seu íntimo a vontade de ser transformado pelo poder de Deus.

Não esqueçamos a parábola do fariseu o do publicano, onde um "jogava na cara" as coisas que fazia para Deus, e o publicano apenas batia em seu peito, achando que não era merecedor de Deus. O publicano saiu exaltado e o fariseu humilhado, por que o Senhor não dá méritos a ninguém. Numa época onde se prega o triunfalismo, devemos ensinar que, se queremos mesmo estar com Jesus, o caminho certo é a humilhação (1 Pedro 5.6).

Em Cristo,

Luis Paulo Silva.

"...pois este também é filho de Abraão." Parte 2

Lucas 19. 7 -10
"E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador.
E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.
E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.
Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido."

Gal 3. 6,7 e 26
Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.
Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão.
Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.

Zaqueu era discriminado pela sua profissão. Zaqueu prestava serviço à Roma como chefe dos cobradores de impostos que eram considerados ladrões, e se fossem judeus, eram considerados traidores. Zaqueu era rico. Agora o ponto mais marcante na vida deste homem: Zaqueu era necessitado da salvação.
Ao observar a mesa, os judeus não entenderam, mas estava ali uma representação clara do Reino de Deus; O publicano sentado num lugar de honra, ao lado de Jesus, enquanto um jovem cumpridor da lei, aparentemente perfeito a essas horas já estava em sua casa, pois mesmo tendo falado com o Mestre e ouvido o seu sábio conselho, mostrou que a sua prioridade não era estar com Cristo, mas desfrutar das riquezas que possuía. Este jovem estava dividido entre Deus e Mamom, entre Jesus, o Cristo, e o dinheiro, mas Zaqueu não...

"E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado." ( Lc 19.8)"

É claro que Jesus não queria o dinheiro de nenhum dos dois personagens, mas sabia que o jovem tinha seu coração nas riquezas, e isso impediria a sua salvação, embora toda a sua conduta fosse perfeita, e sabia que Zaqueu já tinha seu coração em Cristo, e isto não o impedia de ser rico.
Quem quer se entregar a Jesus, tem que entregar tudo.
O que faz de um homem, um filho de Abraão? Cumprir a lei ou ter a esperança em Cristo?
Os fariseus diziam ser filhos de Abraão, mas João disse a eles que Deus podia levantar até das pedras filhos a Abraão.
O jovem de qualidades cumpria a lei, portanto, não roubava, não matava, não desrespeitava os seus pais, enfim, ele não pecava mas também não fazia mais nada.
Zaqueu pecava, porém subiu numa figueira para ver o mestre sem se importar com o que pensariam dele. Zaqueu não teve vergonha de ir até Jesus, e Jesus não teve vergonha de ir até Zaqueu.
Aprendo então, que crer é melhor do que aparecer, e ser é melhor do que parecer. Enquanto estivermos como fariseus, limpando o exterior do copo até ficar impecável, sem se preocupar com o seu interior, nunca teremos a aceitação que teve aquele publicano que batia no seu peito e chorava reconhecendo os seus pecados, e que não era digno de nada.
Luis Paulo Silva.

O papel da crise na nossa edificação espiritual

Os momentos de crise não são apenas comuns na vida dos servos de Deus; são necessários.

Todos nós conhecemos aquela historia de que a crise pode representar também grandes oportunidades, mas, como enxergar estas oportunidades em meio à crise? Como ver saída diante da pressão, da opressão, da impossibilidade e do medo?

Os nossos erros e fraquezas, a medida em que são expostos através de nossas atitudes, geram situações que podem produzir em nós muitas qualidades se conseguirmos enxergar a mão do Senhor agindo por nós, mesmo quando erramos. Os nossos erros podem ser usados como instrumentos para um maior crescimento, e conhecimento mais profundo do amor de Deus por nós, pois é fácil crer que Deus nos ama quando fazemos tudo com perfeição, e nestes momentos acabamos esquecendo a essência da Graça: Deus bom e homem não merecedor.

Cristo deu a vida por nós, sendo nós ainda pecadores, e não justos.

Deus não nos ama principalmente por que somos bons, ou por que temos atitudes louváveis, mas por que Ele é o Deus de amor; Deus não nos vai salvar porque somos perfeitos, mas por que tencionamos fazer a vontade d’Ele.

Responda com sinceridade: quem mais traiu a Jesus, Pedro ou Judas? A resposta é: ambos. Porque Judas perdeu-se, ao passo que Pedro tornou-se um grande evangelista? Por que Pedro tinha um coração sincero, e Judas não.

A traição de Pedro, serviu dentre outras coisas, para que soubesse quem ele era de fato.
Jesus disse aos discípulos que todos eles o deixariam na hora da sua prisão, mas Pedro, famoso “Super Crente”, imbatível, que pegava “o demônio pelos chifres”, disse: “Senhor, ainda que todos te deixem, eu não o farei! Darei minha vida contigo!”
Essa declaração não parece nem de longe, ter saído da mente de alguém equilibrado e de um bom conhecimento de si.

Aprenderemos outra lição, pois Jesus respondeu a Pedro: “antes que o galo cante, três vezes me negarás”. Esta afirmação de Cristo não mostra apenas que Ele já conhecia o futuro, mas revela que Ele conhecia a Pedro!
Como é bom servir ao Deus que nos conhece! O salmista disse: “Senhor, tu me sondas e me conheces”.

Talvez você pense que Deus não te quer mais, ou que as promessas de Deus a seu respeito foram anuladas, mas saiba que ao te escolher, Deus já o conhecia, e conhecia o seu futuro! Deus nunca erra na escolha, nem se arrepende. Se alguma profecia foi dita ao seu respeito da parte de Deus, ou se o Espírito Santo têm falado ao teu coração, creia nestas promessas.
“por que todas quantas promessas há de Deus são n’Ele o sim, e por Ele amém, para a glória de Deus por nós”
O Senhor disse a Jeremias: “Eu velo para cumprir a minha palavra”, portanto, se algém tem falhado contigo, saiba que Deus nunca falha.

Ora, Pedro nem “se” conhecia, nem sabia que Jesus o conhecia.
Passados alguns dias, depois de haver negado ao Mestre, disse Pedro: “Vou pescar”, e alguns foram com ele. Imagino agora, Pedro que depois de tanto tempo acostumado com a presença de Jesus, agora estava só! Quão grande tristeza invadia a alma de Pedro!
Estava nu, por fora e por dentro, desprovido de vestimentas espirituais que aquecessem os seus sentimentos. Você já se sentiu assim? Parece que Jesus não o vê? Está sentindo a culpa de tê-lo negado mais uma vez?

Pedro pescou por oras, mas sem sucesso. Assim como nós, sem Cristo nada podemos fazer e sentir realização, assim estava Pedro.
Embora o trabalho seja inútil, a noite escura e a tristeza dominem seus sentidos, Jesus nunca se esquece dos que foram escolhidos, e naquele dia, foi encontrar-se com Pedro.
Jesus repetiu o milagre que foi, há anos antes, decisivo na decisão de Pedro em segui-lo. Aprendemos com isso, que Deus não muda. Nós erramos, pecamos, negamos, mas Deus não muda.

Pedro jogou-se na água assim como estava e foi ter um novo encontro com o Mestre.
Ao se encontrar com Pedro, Jesus não quis fugir dos assuntos que “cutucavam a ferida” de Pedro, mas fez a pergunta que o faria lembrar-se do seu fracasso. Deus não joga nada na cara. Às vezes ele precisa nos fazer recordar nossos erros para mudar-nos, para sarar-nos.

Olhando para ele, com os mesmos olhos que o viram trair, Jesus perguntou a Pedro: “Simão, tu me amas mais do que estes?”.
É como se ele estivesse perguntando; “Pedro, agora você sabe quem você é, ou não sabe que não é como pensava ser?”. Depois de três vezes ouvindo a mesma pergunta que o incomodava, doía, fazia-lhe sentir humilhado, Pedro responde a Jesus com um “tu sabes tudo”.

Queridos irmãos em Cristo, consolem-se com esta Palavra! Ainda que todos te julguem, só Jesus te conhece. Foi ele quem te criou, quem te chamou, escolheu, salvou, ungiu, e é Ele quem tirou o meu sono para que você saiba que Ele te ama. Você pode não mais crer, mas Jesus te ama mais do que qualquer pessoa possa amar algum dia.
A triste segundo Deus gera alegria, e o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza.
Glória a Deus por sua obra em nossas vidas!

Que Deus abençoe a todos e ilumine os entendimentos!

Na Paz de Cristo Jesus,

Luis Paulo Silva.

O Deus que ama! Um breve comentário sobre Jo 3:16

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."


O que existe de espetacular, mais que especial em Jo 3.16, é
a revelação do Deus que ama.
Creio que era difícil para aquelas pessoas, acreditar no amor de Deus, se este Deus dizia que se alguém adulterasse deveria ser apedrejado, e se nas histórias conhecidas por eles, um tal de "Uza" foi consumido simplesmente por que tocou a arca deste Deus com uma boa intenção, mas de forma indevida.
Para aquele povo, o Senhor se destacava mais como um Ser autoritário, cheio de
regras e mandamentos que deveriam ser cumpridos com ameaça de morte caso não os cumprisse, do que como um Ser amoroso.
Se era impossível acreditar no amor de Deus por causa de suas atitudes "radicais", quando ele via que sua santidade havia sido violada, mais impossível ainda (se é que existe mais ou menos impossivel!) era não crer que este Deus amava a humanidade de forma única e tão especial, se ele havia mandado seu único filho, para padecer como as demais criaturas, tendo, fome, dor, tristeza, pobreza, e por fim, algo preparado exclusivamente para ele: a morte, seu santo sacrifício, sem culpa alguma própria, mas pela culpa dos que o matavam, pela culpa dos que o ouviam.
A entrega de Jesus ao mundo da parte do Pai, expressa nesta passagem para nós que lemos, e para os que o ouviram dizer estas coisas, sem mais, nem menos, a revelação da intensidade do amor de Deus, que deveria resultar na mudança da visão de Deus: De um Deus vingativo, para um Deus amoroso, carinhoso, sentimental.

Que a Paz de Jesus Cristo esteja com vocês!

Luis Paulo.

Como Deus se revela ao homem

Romanos 1. 18-22
A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça;
porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou.
Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato.
Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos.


Quando uma pessoa está num lugar muito alto, onde existe algum risco de queda, logo alguém lhe diz: "não olhe para baixo!". Mas, se esta pessoa chegar a cair, o fato de não ter olhado para baixo e visto realmente a dimensão do risco que corria, pode amenizar a queda? Não.
Da mesma maneira, sempre vejo pessoas que fogem das questões espirituais, quando estas lhe causam medo. Inventam superstições de todo tipo, se auto-justificam pelas suas boas obras, ou somente por não ser tão ruim quanto outros, dizem ás vezes não acreditar que haja mesmo alguma consciência após a morte, e quando não podem negar, partem para alguma forma de espiritismo, para conseguir acreditar que é possível escapar do inferno se a pessoa de Cristo.
Existem muitas maneiras de não olhar pra baixo, e olhar para baixo nesse caso, é olhar para a Palavra de Deus, e não olhar para a Palavra de Deus é passar por esta vida desavisado, não ter consciência do grande propósito de Deus em nossas vidas nem das duras consequências que acompanham aqueles que se esquecem de Deus.
Ao dialogar sobre isto com uma certa moça, ela me perguntou: "Quem criou Deus?"
Com esta pergunta, eu pude entender o grande problema de crer em Deus; Crer, não é comprovar, e um Deus maior do que tudo não se rebaixaria a ponto de se desnudar ao homem. Deus se explicar, ao homem, é como falar sobre Internet com uma formiga.
Descobri que esta moça não cria em Deus, apenas tinha medo de dizer que ele não existe e estar errada.
Só poderemos conhecer mais de Deus se o nosso interesse não for o mero conhecer. Ele só se apresenta ao homem de forma prática, e a prova disto é que, mesmo os ateus têm no fundo de sua consciência uma certeza ignorada de que existe o Criador.

Veja o que diz Eclesiastes 3.11:
"Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim."

Para quem não olha para o Senhor, a queda é certa. Não adianta ganhar o mundo e perder a própria alma. Lembre-se do Senhor!
Aqueles que tapam hoje os ouvidos à voz de Deus terão um trágico destino, e isto eu digo não com prazer, pois só podemos ser salvo, como já foi dito em outra postagem, pela Graça de Deus, mas como seremos salvos pela Graça de um Deus que ignoramos?
Para finalizar, reflita sobre esta passagem em Provérbios 1.23-33:

"Até quando, ó néscios, amareis a necedade? E vós, escarnecedores, desejareis o escárnio? E vós, loucos, aborrecereis o conhecimento?
Atentai para a minha repreensão; eis que derramarei copiosamente para vós outros o meu espírito e vos farei saber as minhas palavras.
Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a mão, e não houve quem atendesse; antes, rejeitastes todo o meu conselho e não quisestes a minha repreensão; também eu me rirei na vossa desventura, e, em vindo o vosso terror, eu zombarei, em vindo o vosso terror como a tempestade, em vindo a vossa perdição como o redemoinho, quando vos chegar o aperto e a angústia.

Então, me invocarão, mas eu não responderei; procurar-me-ão, porém não me hão de achar.
Porquanto aborreceram o conhecimento e não preferiram o temor do SENHOR; não quiseram o meu conselho e desprezaram toda a minha repreensão.
Portanto, comerão do fruto do seu procedimento e dos seus próprios conselhos se fartarão.
Os néscios são mortos por seu desvio, e aos loucos a sua impressão de bem-estar os leva à perdição.
Mas o que me der ouvidos habitará seguro, tranquilo e sem temor do mal."



Que Deus nos abençoe!!!
Luis Paulo

O escudo




Este louvor chegou aos meus ouvidos em 2004, no momento em que eu mais precisava desta mensagem, num dia pela manhã, uma "fita" gravada com vários louvores, os quais eu já havia escutado, menos ele!
É lindo como o Senhor prepara pra nós, pessoas abençoadas que trazem a palavra certa, no momento certo, e mesmo quando faltam pessoas, ele fala através de um louvor, de tantas coisas.
Não me esqueço das vezes em que precisei do Senhor e ele sempre esteve presente me renovando as forças.
Quando faltam palavras, e sobram para nós, acusações, o Senhor sempre nos perdoa e restitui a Graça.
Nunca podemos nos esquecer das coisas que Deus já tem feito por nós, pois somente a lembrança delas já nos fortalece e dá certeza de que a nossa história, é escrita pelo nosso Deus, que nos ama, e a sua Palavra é o nosso escudo.
dizia: "Eu sei em quem tenho crido"
Você sabe em quem tem crido? Sabe a dimensão do seu poder? Sabe que nos fim disso tudo, no momento certo, quem vai se levantar do trono ao seu favor é Ele, e não o homem?
Jamais deixe que as nuvens das tristezas te impeçam de crer que acima delas, acima de tudo, pra você resplandece o sol da justiça. Deus não trabalha só quando você o percebe! no silêncio ele te dá a vitória, pois é ele quem decide quem ganha e quem perde nesta causa.
Eu te convido a recordar as promessas de Deus na sua vida, os momentos mais desesperadores, nos quais só Ele estava contigo, as profecias, a voz do Espírito no seu coração.
Medite na mensagem que traz este louvor e seja edificado como eu tenho sido.


Em Cristo,

Luis Paulo.



Olhando para Cristo!

Isaías 45.22: "Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os povos da terra; por que Eu Sou Deus, e não há outro."

Medite também em Hebreus 12.1 e 2 :

Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tão de perto nos rodeia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, o Autor e Consumador da fé, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.


Muitas vezes somos tentados a fazer como Pedro, que, obedecendo a voz do Mestre, andou sobre as águas. Entregamos a Deus nossos pensamentos e vida, estamos vivendo pela fé, sabendo que pelas nossas possibilidades e capacidades não podemos fazer nada, só o Senhor pode nos manter firmes sobre as águas.
De repente nos descuidamos, tiramos a atenção do Senhor, deixamos de olhar para Ele e começamos a deixar as lutas exercerem maior influência sobre nossas vidas do que o próprio Mestre.
Ainda que as ondas pareçam grandes e perigosas, não tenha medo porque o Senhor continua lá, te olhando, e te dando poder pra caminhar sobre as provações, e ainda que você vacile, desvie o seu olhar, o Senhor ainda pode te pegar pela sua mão e dizer: "homem de pouca fé, por que duvidastes?"
Não olhe para as pessoas;
Não olhe para as provações;
Não olhe para as dificuldades;
Não olhe pra o inimigo;
Todas estas coisas são apenas ondas que vem e logo se vão. Olhe para Cristo e será salvo!Pois ele continua olhando pra você, e logo as ondas se vão e só você estará firme sobre as águas, de braços dados com Jesus.


Em Cristo,
Luis Paulo.