Pages

O (des)EQUILÍBRIO QUE ESSA NOSSA IGREJA (não) TEM!


A organização chamada igreja tem passado por uma metamorfose, um fenômeno chamado "mundanização".





Acredito que, se muitos dos homens que ajudaram a disseminar o Evangelho no mundo, pudessem ver como está a igreja em seus respectivos países, chorariam lágrimas de sangue por verem o que está sendo feito da Igreja de Cristo.É fácil criticar a ignorância dos pastores antigos, apontar erros teológicos, doutrinários. Difícil porém, é estar disponível para Deus e para a sua obra da mesma forma que tais fizeram.O cristão moderno não consegue achar o equilíbrio entre o santo e o profano ou se beatifica e se torna insuportável a qualquer pessoa, ou se torna um cristão "amante do mundo".
Existe aquela coisa de teoria e prática. Se observarmos a vida de Cristo, perceberemos que ele era correto em palavras e atitudes. Ele apresentava uma palavra sem contradições e ao mesmo tempo tinha a unção do Espírito de Deus.
Até hoje não entendi por que existem as tais "correntes doutrinárias" se a Palavra de Deus é só uma e nenhuma parte dela de particular interpretação, será esta isto um pouco de orgulho?
Será que os alguns líderes estão defendendo mais uma denominação com seus costumes enquanto outros defendem o que cair melhor ao seu bolso? Quem afinal de contas defende a Palavra de Deus?
Antigamente nas Assembléias de Deus havia pastores que tinham lá suas interpretações erradas, mas uma coisa me chama atenção: Eles não tinham medo de pessoas possessas, os líderes não precisavam contratar seguranças para o proteger, e os pastores não tinham tempo pra ficar pra cima e pra baixo indo de um país a outro por que tinham muito que fazer em suas igrejas, ai você pode me perguntar: O que eles tanto faziam no mesmo lugar? Estavam cuidando das pessoas as quais Deus lhe havia confiado. E ela podia confiar neles.
Tem sido impossível a muitos líderes, conservar o ensinamento da Palavra de Deus, o Evangelho puro, sem as interpretações particulares e fardos pesados, e manterem-se fiéis, consagrados e confiantes em Deus. Eles não têm conseguido corrigir os erros do passado mantendo ao mesmo tempo as virtudes que aqueles homens de fé tinham e com pretexto de serem hoje mais abertos, abrem mão de qualquer valor por dinheiro. Só quero saber o que eles vão fazer com tanto dinheiro depois que Jesus voltar.
Sem contar naquele pretexto pra pecado: "Deus quer o coração..". Ora, existem pessoas que entregam tudo à religião e nada a Deus, pois tem roupa de crente, fala como crente, vai pra igreja de crente, mas não tem um coração de convertido; faz tudo que a religião impõe e se preocupa quase nada com o que a Palavra de Deus diz. Por outro lado, há pessoas que querem entregar o coração a Deus, mas "só o coração viu!"... Aí caem no outro extremo, ao invés de usar saias "lá em baixo", usam calças tão justas que qualquer cidadão na rua tem quase a visão que deveria ser contemplada só pelo esposo, ou, ao invés de usar a gola "lá em cima" se vestem com decotes "lá em baixo", que só faltam mostrar o umbigo! Onde está a vergonha, e decência, muitas vezes até nas reuniões? Às vezes fico a me perguntar, quem cometeu maior pecado, se os pastores exagerados do passado ou os profanos de hoje. É preciso estar entre um e outro.

Em Cristo Jesus,
Luis Paulo Silva.
(Texto revisado, obrigado irmão Bruno.)