O (des)EQUILÍBRIO QUE ESSA NOSSA IGREJA (não) TEM!


A organização chamada igreja tem passado por uma metamorfose, um fenômeno chamado "mundanização".





Acredito que, se muitos dos homens que ajudaram a disseminar o Evangelho no mundo, pudessem ver como está a igreja em seus respectivos países, chorariam lágrimas de sangue por verem o que está sendo feito da Igreja de Cristo.É fácil criticar a ignorância dos pastores antigos, apontar erros teológicos, doutrinários. Difícil porém, é estar disponível para Deus e para a sua obra da mesma forma que tais fizeram.O cristão moderno não consegue achar o equilíbrio entre o santo e o profano ou se beatifica e se torna insuportável a qualquer pessoa, ou se torna um cristão "amante do mundo".
Existe aquela coisa de teoria e prática. Se observarmos a vida de Cristo, perceberemos que ele era correto em palavras e atitudes. Ele apresentava uma palavra sem contradições e ao mesmo tempo tinha a unção do Espírito de Deus.
Até hoje não entendi por que existem as tais "correntes doutrinárias" se a Palavra de Deus é só uma e nenhuma parte dela de particular interpretação, será esta isto um pouco de orgulho?
Será que os alguns líderes estão defendendo mais uma denominação com seus costumes enquanto outros defendem o que cair melhor ao seu bolso? Quem afinal de contas defende a Palavra de Deus?
Antigamente nas Assembléias de Deus havia pastores que tinham lá suas interpretações erradas, mas uma coisa me chama atenção: Eles não tinham medo de pessoas possessas, os líderes não precisavam contratar seguranças para o proteger, e os pastores não tinham tempo pra ficar pra cima e pra baixo indo de um país a outro por que tinham muito que fazer em suas igrejas, ai você pode me perguntar: O que eles tanto faziam no mesmo lugar? Estavam cuidando das pessoas as quais Deus lhe havia confiado. E ela podia confiar neles.
Tem sido impossível a muitos líderes, conservar o ensinamento da Palavra de Deus, o Evangelho puro, sem as interpretações particulares e fardos pesados, e manterem-se fiéis, consagrados e confiantes em Deus. Eles não têm conseguido corrigir os erros do passado mantendo ao mesmo tempo as virtudes que aqueles homens de fé tinham e com pretexto de serem hoje mais abertos, abrem mão de qualquer valor por dinheiro. Só quero saber o que eles vão fazer com tanto dinheiro depois que Jesus voltar.
Sem contar naquele pretexto pra pecado: "Deus quer o coração..". Ora, existem pessoas que entregam tudo à religião e nada a Deus, pois tem roupa de crente, fala como crente, vai pra igreja de crente, mas não tem um coração de convertido; faz tudo que a religião impõe e se preocupa quase nada com o que a Palavra de Deus diz. Por outro lado, há pessoas que querem entregar o coração a Deus, mas "só o coração viu!"... Aí caem no outro extremo, ao invés de usar saias "lá em baixo", usam calças tão justas que qualquer cidadão na rua tem quase a visão que deveria ser contemplada só pelo esposo, ou, ao invés de usar a gola "lá em cima" se vestem com decotes "lá em baixo", que só faltam mostrar o umbigo! Onde está a vergonha, e decência, muitas vezes até nas reuniões? Às vezes fico a me perguntar, quem cometeu maior pecado, se os pastores exagerados do passado ou os profanos de hoje. É preciso estar entre um e outro.

Em Cristo Jesus,
Luis Paulo Silva.
(Texto revisado, obrigado irmão Bruno.)



7 comentários:

  1. Luis Paulo é verdade que nós estamos vievndo no mundo dos extremos, onde o paradoxo está escondido de muitos olhos.Mas a Palavra é a nossa perfeita regra de fé e prática, o que precisamos urgentemente, e nos voltarmos para a Bíblia, tirando os olhos do dogmas para enxergarmos a Palvra como ela é.A sua preocupação é válida. Que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  2. Alô Luis Paulo,

    Quando falei do link, me referia à postagem do link, e não ao blog - pois esse eu já conheço, rs...

    Quanto à sua postagem, eu já tinha lido ela lá no blog da UBE e achei muito pertinente a sua preocupação com um terreno médio, ou um meio termo. Infelizmente nas igrejas evangélicas e principalmente na AD (denominação a qual pertenço) ou você é oito ou é oitenta!

    Tomara que a gente consiga chegar ao almejado equilíbrio em nossa praxis cristã.

    Abraço fraterno,

    Leonardo G. Silva

    PS: Coloquei o seu banner lá no Pulpito.

    ResponderExcluir
  3. Na boa irmãozinho, é legal a idéia de ter um blog, mas precisamos acertar algumas coisas. Erros de português num rola né? Outra coisa, você propõe um tal equilíbrio, se valendo de uma nostalgia de vovô (aqulea do tipo: "no meu tempo...") e você mesmo em seu texto demonstra fortes traços de fundamentalismo. A questão mundo-igreja é muito mais complexa que isso, mundo é um sistema, não é a cultura, não são costumes não é a matéria em si. É possível viver nesse mundo e transformá-lo aos valores cristãos. Outra coisa é o tal do equilpibrio, será que a proposta cristã é mesmo o equilíbrio? Negar-se a si mesmo, morrer para o mundo... não vejo isso como equilíbrio, sei não...

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Bruno!

    Em primeiro lugar, obrigado pela visita, você será sempre bem-vindo se quiser participar comentando em outros posts, mesmo que seja para corrigir os meus erros de português, rs, assim eu vou me aperfeiçoando, afinal, "erros de português num rola né?". O mais importante é que o meu objetivo foi alcançado: você entendeu o que eu quis dizer, e isto me deixa feliz!
    Com relação à minha "nostalgia de vovô (aqulea do tipo: "no meu tempo...")", acredite querido, a Palavra de Deus não muda, de quando foi redigida até o momento presente, mas nós mudamos, e precisamos saber se estas nossas mudanças não estão indo na contra-mão do que ensina a Palavra de Deus.Eu jamais disse que o cristão não deve viver no mundo, pois entendo que a luz deve ser colocada onde há mais trevas, o que defendo, é que o cristão deve, agir e pensar como a Bíblia orienta, o que automaticamente o irá fazer muito diferente das demais pessoas.
    Se me considera fundamentalista por esse motivo, por entender que o "sistema" influencia a maneira de falar, de vestir e de agir das pessoas, e que o cristão deve também nestes aspectos ser cuidadoso, prefiro ser fundamentalista ainda.
    "Negar-se a si mesmo, morrer para o mundo...", você não vê isto como equilíbrio? Este é o ensinamento bíblico amado, é o que Deus nos mostra ser necessário para estar com Ele na eternidade, e não pode ser entendido como forma de desequilíbrio, a menos que você tenha uma mente completamente carnal, pois está dizendo que ser cristão torna o homem desequilibrado.
    Eu espero poder contar sempre com as suas opiniões!

    Em Cristo,

    Luis Paulo Silva.

    ResponderExcluir
  5. Raquel Silva1/14/2009 5:12 AM

    Parabéns amor :)

    Te amo.

    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Irmão Valério, obrigado pela participação e nosso blog,que Deus te abençõe muito!

    Irmão Leonardo, Conheço a sou leitor do Pulpito, e muito tem me edificado as suas postagens, espero poder contar contigo também na construção das idéias deste blog através de seus comentários e participação.

    Que Deus abençõe a todos!

    ResponderExcluir
  7. Raquel meu anjo, te amo :) que Deus nos abençõe!

    ResponderExcluir

O seu comentário é muito importante, fique a vontade mas sempre que possível, deixe assinado o seu nome.