Sobre levitas, apóstolos e outros modismos: desabafo de um professor de teologia


Rev. Carlos Eduardo Brandão Calvani


Sou um professor de Teologia em crise. Não com minha fé ou com minhas convicções, mas com a dificuldade que eu e outros colegas enfrentamos nos últimos anos diante dos novos seminaristas enviados para as faculdades de teologia evangélica. Tenho trabalhado como professor em seminários evangélicos presbiterianos, batistas, da Assembleia de Deus e interdenominacionais desde 1991 e, tristemente, observo que nunca houve safras tão fracas de vocacionados como nos últimos três anos.

No início de meu ministério docente, recordo-me que os alunos chegavam aos seminários bastante preparados biblicamente, com uma visão teológica razoavelmente ampla, com conhecimentos mínimos de história do cristianismo e com uma sede intelectual muito grande por penetrar no fascinante mundo da teologia cristã. Ultimamente, porém, aqueles que se matriculam em seminários refletem a pobreza e mediocridade teológica que tomaram conta de nossas igrejas evangélicas.

Sempre pergunto aos calouros a respeito de suas convicções em relação ao chamado e à vocação. Pois, outro dia, um calouro saiu-se com a brilhante resposta: "Não passei em nenhum vestibular e comecei a sentir que Deus impedira meu acesso à universidade a fim de que eu me dedicasse ao ministério". Trata-se do mais típico caso de "certeza da vocação" adquirida na ignorância.

E, invariavelmente, esses são os alunos que mais transpiram preguiça intelectual.
A grande maioria dos novos vocacionados chega aos seminários influenciada pelos modismos que grassam no mundo evangélico. Alguns se autodenominam "levitas". Outros dizem que estão ali porque são vocacionados a serem "apóstolos".

Ultimamente, qualquer pessoa que canta ou toca algum instrumento na igreja se auto denomina "levita". Tento fazê-los compreender que os levitas, na antiga aliança, não apenas cantavam e tocavam instrumentos no templo, como também cuidavam da higiene e limpeza do altar dos sacrifícios (afinal, muito sangue era derramado várias vezes por dia), além de constituírem até mesmo uma espécie de "força policial" para manter a ordem nas celebrações. Porém, hoje em dia, para os "novos levitas", basta saber tocar três acordes e fazer algumas coreografias aeróbicas durante o louvor para se sentirem com autoridade até mesmo para mudar a ordem dos cultos.

Outros há que se auto-intitulam "apóstolos". Dentro de alguns dias teremos também "anjos", "arcanjos", "querubins" e "serafins". No dia em que inventarem o ministério de "semi-deus", já não precisaremos mais sequer da Bíblia.

Nunca pensei que fosse escrever isso, pois as pessoas que me conhecem geralmente me chamam de "progressista". Entretanto, ultimamente, ando é muito conservador. Na verdade, "saudosista" ou "nostálgico" seriam expressões melhores.

Tenho saudades de um tempo em que havia um encadeamento lógico nos cultos evangélicos, em que os cânticos e hinos estavam distribuídos equilibradamente na ordem do culto.
Atualmente, os chamados "momentos de louvor" mais se assemelham a shows ensurdecedores ou de um sentimentalismo meloso.

Pior: sobrepujam em tempo e importância a centralidade da Palavra e da Ceia nas igrejas protestantes. Muitas pessoas vão à igreja muito mais por causa do "louvor" do que para ouvir a Palavra, que regenera, orienta e exige de nós obediência. Dias atrás, na semana da Páscoa, comentei com um grupo de alunos a respeito da liturgia das "sete palavras da cruz" que seria celebrada em minha igreja na sexta-feira da Paixão. Alguns manifestaram desejo de participar. Eu os avisei, então, que se tratava de uma liturgia que dura, em média, uma hora e meia, durante a qual não é cantado nenhum hino (pelo menos na tradição de minha igreja - Anglicana), mas onde lemos as Escrituras, oramos e meditamos nas sete palavras pronunciadas por Cristo durante a crucificação. Ao saberem disso, um deles disse: "Se não houver música, não há culto".

Creio que, em parte, isso é reflexo da cultura pop, da influência da "Geração MTV", incapaz de perceber que Deus pode ser encontrado também na contemplação, meditação e no silêncio. Percebo também que alguns colegas pastores de outras igrejas frequentemente manifestam a sensação de sentirem-se tolhidos e pressionados pelos diversos grupos de louvor. O mercado gospel cresceu muito em nosso país e, além de enriquecer os "artistas" e insuflar seus egos, passou a determinar até mesmo a "identidade" das igrejas evangélicas. Houve tempo em que um presbiteriano ou um batista sabiam dar razão de suas crenças.

Atualmente, tudo parece estar se diluindo numa massa disforme. Trata-se da "xuxização" ("todo mundo batendo palma agora... todo mundo tá feliz? Tá feliz!") do mundo evangélico, liderada pelos "levitas" que aprisionam ideologicamente os ministros da Palavra. O apóstolo Paulo dizia que a Palavra não está aprisionada. Mas, em nossos dias, os ministros da Palavra estão cativos da cultura gospel.

Tenho a impressão de que isso tudo é, em parte, reflexo de um antigo problema: o relacionamento do mundo evangélico com a cultura chamada "secular". Amedrontados com as muitas opções que o "mundo" oferece, os pais preferem ter os filhos constantemente sob a mira dos olhos aos domingos, ainda que isso implique em modificar a identidade das igrejas. E os pastores, reféns que são dos dízimos de onde retiram seus salários, rendem-se às conveniências, no estilo dos sacerdotes do Antigo Testamento.

Na maioria dos Seminários hoje, os alunos sabem o nome de todas as bandas gospel, mas não sabem quem foi Wesley, Lutero ou Calvino. Talvez até já tenham ouvido falar desses nomes, mas são para eles como que personagens de um passado sem-importância e sobre o qual não vale a pena ler ou estudar.

Talvez por isso eu e outros colegas professores nos sintamos hoje em dia como que "falando para as paredes". Nem dá gosto mais preparar uma aula decente, pois na maioria das vezes temos sempre de "voltar aos rudimentos da fé" e dar aos vocacionados o leite que não recebem nas igrejas. Várias vezes me vi tendo que mudar o rumo das aulas preparadas para falar de assuntos que antes discutíamos na escola dominical. Não sei se isso acontece em todos os seminários, mas em muitos lugares, o conteúdo e a profundidade dos temas discutidos pouco difere das aulas que ministrávamos na Escola Dominical para neófitos.

Sei que muitos que lerem esse desabafo, não concordarão em nada com o que eu disse. Mas não é a esses que me dirijo e, sim, aos saudosistas como eu, nostálgicos de um tempo em que o cristianismo evangélico no Brasil era realmente referencial de uma religiosidade saudável, equilibrada e madura e em que a Palavra lida e proclamada valia muito mais que o último CD da moda.
O Rev. Calvani é o coordenador do Centro de Estudos Anglicanos de Londrina, PR

Créditos: Este texto foi extraído do blog MISSÃO INTEGRAL

Comentários 2

Visitando blog de alguns irmãos sempre me inspiro e comento acrescentando o que penso sobre o temas abordados. Trago aqui, mais alguns comentários que fiz e os links para as respectivas postagens.
São assuntos muito reflexivos, vale à pena conferir.


Luis Paulo Silva disse...
Eu até postei algo sobre o extremismo na igreja e pra falar a verdade, estou ainda formando minha opinião sobre estes assuntos (com relação aos costumes).
Não sou a favor do irmão Danielzinho, que é a favor do radicalismo, e mesmo assim muitos que me conhecem me acham muito salgado, tenho 21 anos, mas dizem que falo como um tiozinho... ou algo assim.
Meu Pai é pastor assembleiano, por isso convivo nesta igreja desde o meu 1/2 ano de idade, e por muito tempo abracei tudo que era dito sobre o púlpito, por respeito aos homens de Deus que falavam.
Quando cresci aprendi uma coisa: TODO MUNDO TEM UM POUCO DE IGNORÂNCIA, E TODO MUNDO ACABA COLOCANDO UM PENSAMENTO PARTICULAR QUANDO MINISTRA A PALAVRA.
Hoje faço como os bereanos; se estiver na Palavra eu como, se não estiver, jogo fora.
Sempre achei um absurdo essa coisa de jogo de luzes no púlpito, luzes pisca-pisca até mesmo na igreja em época de natal. As filhas de pastores, com responsabilidades na igreja e um decote quase no umbigo, ou uma saia mostrando as coxas para os irmãos.O pior de tudo? Me refiro a filhas de pastores que outrora era "grandes homens de doutrina".
A Assembléia de Deus no Brasil está falindo espiritualmente. Muitos missionários estão sendo largados no campo, e muitos pregadores fiéis estão sendo mandados pro "cabide" nos púlpitos enquanto pregadores barulhentos apenas e fanfarrões estão se enchendo até os calções com o dinheiro que a maioria dos pastores assembleianos pagam a eles para ministrarem lixo ao povo.
Parece duro o discurso?
É só ir a alguma convenção e ver qual é a linguagem dos "homens de Deus". Dinheiro, dinheiro e dinheiro.
Homens hipócritas estão escondidos nas suas salinhas, negociando o povo de Deus!
Deixaram de ser extremistas pra ser hipócritas, amigos do pecado e negociadores de pecadores que acham que são crentes só por que o pastor chamou de "minha santa" e "meu santo".

Luis Paulo Silva.


Luis Paulo Silva disse...
Boa parte do povo que freqüenta a Internacional, Universal, e outras do gênero, não estão preocupado com salvação, mas com bênçãos, e é por isso que não procuram a igrejinha simples da rua de casa.
Estes crentes tem doutores conforme os seus próprios pecados, pois eles mesmo os escolhem. Este povo tem comichão nos ouvidos. Que sofram na mão do diabo até aceitarem ao Senhor Jesus.
Muitos artistas, por exemplo, dizem que se converteram mas continuam praticando coisa más e não mudam muito sua conduta, e como são assim, procuram igreja "liberais" que aceitam os pecadores com seus pecados e tudo mais.
Agora, adivinha: Se uma igreja não se preocupa com salvação de almas, ela vai ocupar seus cultos com o que????? com o dinheiro das almas!!! lógico.

Abraço.


Levi, paz contigo!

Muito lindo seu texto, edificante e reflexivo, sem palavras.
Este assunto é um pouco delicado, pois a própria Palavra nos descreve um céu glorioso. Paulo disse que não contaria o que tinha visto, pois aqueles que liam a sua carta ou o ouvissem não poderia suportar.
Talvez o céu seja parecido com o meu sonho e talvez não tenha nada a ver com ele.
Uma novela da Globo, que exaltava o espiritismo, chamada "A Viagem", mostrava o céu como um lindo jardim, com pessoas de branco, sem "riqueza" alguma. Aliás, as pessoas só tinham a roupa do corpo, mais nada. Sei que aquela não é a imagem real do céu, nossa futura morada.
Acredito sim, que quando nós somos tocados pelo Espírito Santo, quando sentimos a Sua paz, a Sua presença, temos uma pequeninissima amostra, do que sentiremos lá, alegria sem par.
Na verdade, acredito que o almejo de muitas pessoas, mesmo das que buscam a tal prosperidade, é este; alegria! E o fato de buscarem satisfação em possuir coisas neste mundo, é a prova irrefutável de que elas não conhecem a Cristo, pois o noso Deus é o Deus dos paradoxos:
Paz mesmo em guerra, Alegria mesmo em tristeza, Abundância mesmo na necessidade!

Que a paz do nosso Senhor Jesus Cristo esteja contigo sempre.
Estou "seguindo" o seu blog, obrigado pela visita e comentário. Abraço!


Luis Paulo Silva disse...
Bom dia amado!

Meus sinceros parabéns pelo seu texto e posso afirmar que acrescentou muito à minha maneira de ver-me e de ver a Igreja de Cristo.
Infelizmente, vivemos por algum tempo um cristianismo de preconceitos e contendas inúteis, de discussões vãs que não chegam a lugar algum, pois geralmente ambos os lados estão corretos em sua prática mas defeituosos em seus julgamentos.
Isto não vem de hoje, haja visto o seu comentário, isto já existia há meio século atrás e mais longe, nos tempo da igreja primitiva, pois diziam alguns crentes desta igreja: "eu sou de Paulo" e outros "eu de Apolo".
Esta tendência tem acompanhado, e por que não dizer que ela tem crescido junto à Igreja de Cristo, de tal forma que há até alguns que se referem aos cristãos de outras denominações como "primos" como de Deus tivesse irmãos.
A "síndrome do filho único", nos afeta sem que possamos perceber nos fazendo pensar que somente nós temos condições de ser filhos de Deus e nos enciumamos quando pessoas diferentes de nós se achegam ao Pai pois, dizemos; "se quiser ser de Deus seja igual a mim".
O orgulho é o pecado mais difícil de ser extirpado do coração humano, é o joio em nós, a semente que não é do maligno, mas da nossa própria natureza pecaminosa que permanece em nós mesmo quando aceitamos a Cristo,mas Ele nos dá forças para vencê-la.
O bode expiatório usado por nós, é sempre o irmão, ou até mesmo o diabo. Que prejuízo nos traz o desconhecimento da Palavra de Deus! O inimigo apenas nos tenta quando percebe a nossa fraqueza, ele não nos faz errar, mas somente cria perante nós situações favoráveis ao erro. Nós somos completamente culpados pelas nossas falhas.

Que a Paz do Senhor esteja contigo.





Usar jóias é pecado?


Como somos cristãos, e não podemos ensinar além do que está escrito, quero trazer aqui uma visão completamente bíblica com relação ao uso de jóias nos AT e NT, visto que o segundo faz referência ao primeiro.
Não serei muito profundo, pois sou apenas um leitor da Bíblia, e não tenho nenhuma formação teológica.
Uso a linguagem que falo, simples, mas se alcançar o entendimento do leitor, já estarei satisfeito e terei o meu alvo alcançado.
As jóias, ou adornos, no AT, eram citados por Deus, mostrando o seu cuidado e amor que tinha com o seu povo, e nesses casos ele comparava o uso das jóias para uma má finalidade da parte do povo, como pecado e muitas vezes, idolatria.
Nas passagens que serão citadas, o veja se Senhor condena o uso de jóias, observe que, em sua alegoria no livro de Ezequiel 16, ele mesmo as dá à jovem que representa o povo de Israel. Como conseqüência da prostituição (e esta sim é condenada) a jovem, que representa o povo, utiliza as jóias dadas por Ele, para uma má finalidade.
Aqui estão os textos:
Ezequiel 16.4-19
4 E, quanto ao teu nascimento, no dia em que nasceste não te foi cortado o umbigo, nem foste lavada com água para te limpar; nem tampouco foste esfregada com sal, nem envolta em faixas.
5
Não se apiedou de ti olho algum, para te fazer alguma coisa disto, compadecendo-se de ti; antes foste lançada em pleno campo, pelo nojo da tua pessoa, no dia em que nasceste.
6
E, passando eu junto de ti, vi-te a revolver-te no teu sangue, e disse-te: Ainda que estejas no teu sangue, vive; sim, disse-te: Ainda que estejas no teu sangue, vive.
7
Eu te fiz multiplicar como o renovo do campo, e cresceste, e te engrandeceste, e chegaste à grande formosura; avultaram os seios, e cresceu o teu cabelo; mas estavas nua e descoberta.
8
E, passando eu junto de ti, vi-te, e eis que o teu tempo era tempo de amores; e estendi sobre ti a aba do meu manto, e cobri a tua nudez; e dei-te juramento, e entrei em aliança contigo, diz o Senhor Deus, e tu ficaste sendo minha.
9
Então te lavei com água, e te enxuguei do teu sangue, e te ungi com óleo.
10
E te vesti com roupas bordadas, e te calcei com pele de texugo, e te cingi com linho fino, e te cobri de seda.
11
E te enfeitei com adornos, e te pus braceletes nas mãos e um colar ao redor do teu pescoço.
12
E te pus um pendente na testa, e brincos nas orelhas, e uma coroa de glória na cabeça.
13
E assim foste ornada de ouro e prata, e o teu vestido foi de linho fino, e de seda e de bordados; nutriste-te de flor de farinha, e mel e azeite; e foste formosa em extremo, e foste próspera, até chegares a realeza.
14
E correu de ti a tua fama entre os gentios, por causa da tua formosura, pois era perfeita, por causa da minha glória que eu pusera em ti, diz o Senhor Deus.
15
Mas confiaste na tua formosura, e te corrompeste por causa da tua fama, e prostituías-te a todo o que passava, para seres dele.
16
E tomaste dos teus vestidos, e fizeste lugares altos pintados de diversas cores, e te prostituíste sobre eles, como nunca sucedera, nem sucederá.
17
E tomaste as tuas jóias de enfeite, que eu te dei do meu ouro e da minha prata, e fizeste imagens de homens, e te prostituíste com elas.
18
E tomaste os teus vestidos bordados, e as cobriste; e o meu azeite e o meu perfume puseste diante delas.
19
E o meu pão que te dei, a flor de farinha, e o azeite e o mel com que eu te sustentava, também puseste diante delas em cheiro suave; e assim foi, diz o Senhor Deus.
Em Isaias, temos um texto também muito usado por líderes que condenam o uso de jóias.
Isaias 3.16-26
16 Diz ainda mais o Senhor: Porquanto as filhas de Sião se exaltam, e andam com o pescoço erguido, lançando olhares impudentes; e quando andam, caminham afetadamente, fazendo um tilintar com os seus pés;
17
Portanto o Senhor fará tinhoso o alto da cabeça das filhas de Sião, e o Senhor porá a descoberto a sua nudez,
18
Naquele dia tirará o Senhor os ornamentos dos pés, e as toucas, e adornos em forma de lua,
19
Os pendentes, e os braceletes, as estolas,
20
Os gorros, e os ornamentos das pernas, e os cintos e as caixinhas de perfumes, e os brincos,
21
Os anéis, e as jóias do nariz,
22
Os vestidos de festa, e os mantos, e os xales, e as bolsas.
23
Os espelhos, e o linho finíssimo, e os turbantes, e os véus.
24
E será que em lugar de perfume haverá mau cheiro; e por cinto uma corda; e em lugar de encrespadura de cabelos, calvície; e em lugar de veste luxuosa, pano de saco; e queimadura em lugar de formosura.
25
Teus homens cairão à espada e teus poderosos na peleja.
26
E as suas portas gemerão e prantearão; e ela, desolada, se assentará no chão.
Quem se utiliza deste texto para proibir o uso de jóias, deveria não usar espelhos (vs.23), nem cintos (vs.24). Este texto definitivamente não serve para formular doutrinas, visto que o Senhor está tirando tudo de que as jovens se agradam, e que são coisas boas, por causa do seu pecado. Até mesmo Paulo, se entendesse desta forma este texto, jamais teria recomendado o uso do véu às irmãs de Corinto (1 Co 11. 5-6), pois no texto referido o véu também é “tirado” por Deus.
No antigo testamento ainda temos outras referências, leia e tire as suas próprias conclusões. Pode Deus comparar as suas dádivas a algo pecaminoso ou ruim? Poderia Deus representá-las por coisas que lhe desagradam?
De forma simples e resumida, podemos entender que quando Deus queria representar as bênçãos dadas ao seu povo, ele dava a eles adornos, e quando queria mostrar o seu juízo, tirava deles os adornos, que eram sinal de riqueza.
Outras referências:
Jer 2:32 - Porventura se esquece a virgem dos seus enfeites, ou a noiva dos seus adornos? Todavia o meu povo se esqueceu de mim por inumeráveis dias.
Gen 24:53 - E tirou o servo jóias de prata e jóias de ouro, e vestidos, e deu-os a Rebeca; também deu coisas preciosas a seu irmão e à sua mãe.
Exo 3:22 - Porque cada mulher pedirá à sua vizinha e à sua hóspeda joias de prata, e joias de ouro, e vestes, as quais poreis sobre vossos filhos e sobre vossas filhas; e despojareis os egípcios.
Exo 12:35 - Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme a palavra de Moisés, e pediram aos egípcios joias de prata, e joias de ouro, e roupas.
Can 7:1 - QUÃO formosos são os teus pés nos sapatos,ó filha do príncipe!Os contornos de tuas coxas são como jóias,trabalhadas por mãos de artista.
Isa 49:18 - Levanta os teus olhos ao redor, e olha; todos estes que se ajuntam vêm a ti; vivo eu, diz o Senhor, que de todos estes te vestirás, como de um ornamento, e te cingirás deles como noiva
Isa 54:11 - Tu, oprimida, arrojada com a tormenta e desconsolada, eis que eu assentarei as tuas pedras com todo o ornamento, e te fundarei sobre as safiras.
Isa 61:10 - Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegrará no meu Deus; porque me vestiu de roupas de salvação, cobriu-me com o manto de justiça, como um noivo se adorna com turbante sacerdotal, e como a noiva que se enfeita com as suas jóias.
Eze 7:20 - E a glória do seu ornamento ele a pôs em magnificência, mas eles fizeram nela imagens das suas abominações e coisas detestáveis; por isso eu lha tenho feito coisa imunda.
Ose 2:13 - Castigá-la-ei pelos dias dos Baalins, nos quais lhes queimou incenso, e se adornou dos seus pendentes e das suas joias, e andou atrás de seus amantes, mas de mim se esqueceu, diz o Senhor.
O que a Bíblia fala sobre as jóias no NT?
1 Pe 3.3-6
3 O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos;
4
Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.
5
Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam sujeitas aos seus próprios maridos;
6
Como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem, e não temendo nenhum espanto.
1 Tim 2.9-10
9 Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,
10
Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.
Os apóstolos Pedro e Paulo estão aqui dizendo que a beleza da mulher deve ser no interior como prioridade. Este não é um mandamento contra as jóias, afinal se acreditarmos que este texto proíbe o uso de jóias teremos então que ensinar que as mulheres não devem pentear os seus cabelos (1 Pe 3.3, frisar = encrespar-se; pentear-se, fazendo riços no cabelo. Ver também Isa 3.24)
"Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus"
Com se adornavam as santas mulheres de Deus? Basta ler as referências no AT para descobrir.

Considerações finais

Não podemos nos esquecer de que somos pessoas diferentes, pois temos em nós o Espírito de Deus e somos o seu templo (1Co 3:16-17; 1Co 6:19; 2Co 6:16).
Como cristão devemos nos preocupar em não causar escândalos e ser moderados em tudo (Rom 12:3; Rom 14:13; 2Co 6:3; 1Co 8:9; 1Co 10:32; 2Ti 1:7; Fp 4.5; 1Jo 2:10).
O que a Bíblia diz que é errado, assim devemos considerar e não praticar, e aquilo que a Bíblia não condena, temos a liberdade de usufruir com sabedoria, considerando qualquer coisa que venha enfraquecer a fé de outros irmãos mais fracos deve ser renunciada por amor ao próximo (Rom 15:1; 1Co 8:9).
Luis Paulo Silva- Membro da Igreja Assembéia de Deus

Esta noite te pedirão a tua alma - Sobre a falsa teologia da prosperidade.

"Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.
Mas é grande ganho a piedade com contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.
Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão."
(1° Timóteo 6. 3-11)

Lindo texto, não? Para quem busca a Deus por Deus sim, mas para quem tenta negociar com Deus em troca de bênçãos as suas orações, campanhas, propósitos, pregações, louvores, e muito mais, é sim um texto horrível que deveria ser arrancado da Bíblia.

Estava no culto ontem e foi abordado este assunto no ensinamento que tivemos sobre o interesse excessivo em coisas materiais, e resolvi postar uma história muito bonita que se encontra em Lucas 12. 13-21.

Começa assim: Num belo dia, Jesus estava ensinando as pessoas, e um homem disse: "Senhor! Fala pro meu irmão dividir a herança comigo!"

Jesus viu ali uma ótima oportunidade de dar uma lição àquelas pessoas: "Acautelem-se da avareza; a vida de um homem não consiste naquilo que ele tem!"

Veja, leitor, que diante de uma mensagem linda que ele pregava anteriormente, falando sobre o cuidado de Deus pelos seus filhos, que eles não deveriam temer aos homens, pois até mesmo os seus cabelos estavam contados por Deus, alguém ainda teve coragem de se aproximar de Jesus para reivindicar a herança do seu irmão!

Não é assim hoje? As pessoas perdem boa parte do tempo em que deveriam estar buscando a Deus, indo atrás de grana, carro, casa, mulher, homem, celular que tira foto, que tem mp3, chácara com piscina pra passar o final de semana, empresa, emprego, e tantas outras coisas que nada tem a ver com o que Jesus está falando na sua Palavra.

Não foi Jesus mesmo quem disse: "buscai primeiro o reino de Deus..."?

Em outras palavras, ele estaria dizendo; Ore, consagre-se, santifique-se, busque de Deus sabedoria, peça pra ele mudar o seu coração, medite na minha Palavra, faça a minha obra, e pode deixar que de você EU CUIDO!"

Você deve conhecer pessoas que, buscando a Deus pelas “coisas”, ficam sem as “coisas” e sem a Graça de Deus na vida? Ficam sem grana e sem salvação. Sem tudo no mundo e sem Jesus. Este é o laço que o diabo usa pra pegar um monte de crente avarento.

Voltando a nossa história...

Pra ajudar a galera a entender o que ele queria dizer ao moço materialista, que ia atrás de Jesus por causa da sua herança aqui no mundo, Jesus contou uma Parábola, e esta eu vou mostrar para vocês exatamente como está na minha Bíblia:

E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância;
E arrazoava ele entre si, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos.
E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens;
E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga.
Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.

Tem até um hino, bem antigo que cantávamos nos cultos, que é assim:

Quem tem Jesus tem tudo

Quem não tem, não tem nada

Mas quem tem Jesus Cristo

No céu já tem morada

Quem ama este mundo

Lá no céu não tem nada

Mas quem tem Jesus Cristo

No céu já tem morada

As riquezas do mundo

Só trazem confusão

Deixam o crente orgulhoso

E perde a salvaçao

Quem ama este mundo

Lá no céu não tem nada

Mas quem tem Jesus Cristo

No céu já tem morada


Glória a Deus pela sua Palavra que não nos deixa confundidos! Se você não tem muito dinheiro e nem muitas condições financeiras, saiba que Deus pode te abençoar financeiramente, mas não foi por este motivo que Jesus morreu. Ele morreu e ressuscitou para nos dar a salvação que dinheiro nenhum pode comprar. Dificuldades todos nós estamos sujeitos a passar, mas Deus sempre providencia tudo, melhor do que dos pardais ele cuida dos seus, por que somos filhos amados.

Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma? (Mt 16.26)

Agora, superpregador da teologia da Pro$peridade, releia o texto de 1° Timóteo que está no topo da postagem e que o Espírito de Deus te convença da justiça, do pecado, e do juízo!

Em Cristo,
Luis Paulo Silva