Pages

Aprendendo com Naamã - Parte 1




O leitor deve ter observado que algumas reflexões que aqui são expostas têm títulos do tipo: “Aprendendo com...”. Escrevo desta maneira partindo da premissa de que cada personagem bíblico tem algo a nos ensinar, ou, Deus tem lições práticas que devem ser aplicadas à nossa vidas reveladas nas histórias dos homens e mulheres que estão contidos nas páginas sagradas.
Quero de forma simples trazer à tona estas lições para que juntos sejamos edificados, boa leitura!

Lições contidas na vida de Naamã - 2 Reis 5.1-27

E Naamã, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu senhor, e de muito respeito; porque por ele o Senhor dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso.

Naamã era um homem de muita importância na sociedade siríaca, haja vista que tinha contato direto com o seu rei, e o motivo de toda esta honra era que o Senhor Deus o tinha como instrumento para dar vitória aos sírios quando dentro do plano de Deus assim devia ser.
Embora fosse usado por Deus, Naamã não conhecia a Deus, e deste fato é que retiramos a primeira grande lição: ser instrumento de Deus nem sempre é sintoma de comunhão com Deus, ou resultado de busca a Deus. O Senhor é soberano e pode usar qualquer pessoa para que os seus propósitos sejam cumpridos, sem que isto implique necessariamente no reconhecimento de tal indivíduo como homem ou mulher de Deus.
A Bíblia continua a história dizendo:  “...e era este homem herói valoroso, porém leproso.” . Certa vez ouvi um expositor da Palavra dizer com relação ao desejo de Abraão de ter um filho, que existem necessidades que tiram o prazer de toda e qualquer conquista pois mesmo sendo próspero financeiramente, vitorioso contra os seus inimigos, Abraão ainda não sentia-se realizado. Esta reflexão pode ser aplicada perfeitamente a Naamã, pois sendo ele homem honrado e rico, ainda assim tinha feridas incuráveis no seu corpo.
O que Naamã não sabia era que a sua lepra era o único meio pelo qual ele poderia encontrar a Deus e a única brecha no muro feito de blocos de orgulho rejuntados com ignorância que cercava o seu coração, impedindo-o de ser mais do que mero instrumento de Deus.
Este "porém" sempre existirá em nossas vidas. Um após outro o Senhor nos curará dos nossos "poréns", mas provavelmente nós deixaremos de buscá-lo quando todos eles se forem de nós. 
A adversidade é necessária à vida do ser humano por que Deus a usa a nosso favor a despeito do que pareça aos nossos olhos.



Que esta curta e simples mensagem cause mudança em nossas vidas,

Luis Paulo Silva.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário é muito importante, fique a vontade mas sempre que possível, deixe assinado o seu nome.