Usos e Costumes

Pensando ainda sobre as "doutrinas" de nossas igrejas, pensei em fazer um artigo sobre este tema, mas como já tenho algum material aqui no Despertai, decidi apenas apresentá-lo de forma organizada para que o leitor possa refletir mais sobre o que tem abraçado como "doutrina", e sobre quão terrível é a situação da igreja atual.
Deixarei aqui principalmente alguns textos da irmã Vanessa Dutra retirados do seu blog.

Boa leitura!

Por Vanessa Dutra
Secretária Geral da EBD Itaquerão
Estamos dando início a mais um ano e, pela misericórdia de Deus, podemos dizer como o profeta Samuel: “Até aqui nos ajudou o Senhor” (1 Samuel 7.12).
Início de ano novo é momento de parar pra refletir, e eu estava meditando naquilo que muitos têm afirmado, de que a igreja brasileira está vivendo um grande avivamento. Parei pra pensar no que realmente é um avivamento e no que de fato está acontecendo nas igrejas evangélicas pentecostaisdo Brasil.
A primeira conclusão a que cheguei é a de queAVIVAMENTO e MOVIMENTO são coisas completamente distintas.
Cabe citar alguns exemplos...



Há pouco tempo atrás, as igrejas pentecostais eram conhecidas principalmente por seu estereótipo. Todos tinham em mente uma imagem de que o crente deveria se vestir de uma maneira, se portar de uma outra e assim por diante.
Esse estereótipo foi criado por culpa das próprias igrejas, que eram extremamente rígidas em seus usos e costumes.
As mulheres, por exemplo, não podiam cortar o cabelo, deviam usar saias longas (calça comprida nem pensar!) e em algumas igrejas eram proibidas até mesmo de depilar as pernas e axilas.
As lideranças dessas igrejas baseavam suas imposições em supostos padrões de “santidade”, porém esses padrões não passavam de imagem exterior.
O próprio Senhor Jesus advertiu sobre o preocupar-se em demasia com as aparências. Em Mateus 23, Ele censurou os escribas e fariseus por sua hipocrisia...




Depois de escrever sobre um assunto polêmico, fiquei surpresa com os comentários que minhapostagem recebeu.
A maioria dos internautas que deixou seu comentário ateve-se a uma oposição ao legalismo. Mas o meu verdadeiro objetivo é falar sobre a segunda parte do texto, a qual poucas pessoas se deram ao trabalho de comentar.
Se o legalismo não é saudável, tampouco o liberalismo o é. Mas afinal de contas, a que liberalismo me refiro? Explico-me.
Em primeiro lugar, cabe estabelecer aqui algumas distinções...



O que são, então, segundo a Bíblia, os bons costumes?

1-) Bons costumes são aqueles que se diferenciam do mundo.

Importante frisar aqui que “mundo” quer dizer todo o conjunto de práticas mundanas, ou seja, pecaminosas e que não agradam a Deus.

O liberalismo tem as práticas mundanas como se fossem naturais. Afinal, “somos livres”!
Mas que liberdade é essa? Jesus nos libertou do PECADO. O fato de sermos livres em Cristo não significa que podemos fazer tudo o que quisermos sem que isso traga consequências diretas para nossa salvação.
Temos, sim, um padrão de conduta a seguir, e esse padrão precisa necessariamente ser diferente do mundo...




Depois de fazer essa análise dos costumes à luz da Bíblia, chego agora à parte final deste assunto.

Diante do exposto, é possível concluir que:

O legalismo farisaico é altamente prejudicial à causa do Evangelho, pois confunde as pessoas e as afasta do verdadeiro alvo, que é Jesus.

O liberalismo mundano, contudo, é mais prejudicial ainda, pois faz com que o Evangelho perca sua essência e pureza, tendo em vista que deixa de haver uma real separação entre a luz e as trevas. Ambas se confundem.

Temos, pois, de ter sabedoria para chegar a um equilíbrio. Porém, esse equilíbrio deve estar necessariamente pautado em parâmetros bíblicos.

Assim sendo, retorno à primeira parte deste artigo e pergunto: É pecado uma mulher cristã usar calça comprida...


Mais no Despertai Ceifeiro!

3 comentários:

  1. Paz do Senhor, Luis Paulo!

    Agradeço pelo incentivo e pela ajuda em divulgar meu blog.

    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Allan Ferreira3/21/2009 6:29 AM

    Prezado Irmão Luís Paulo,

    Paz!

    Parabéns pela forma como organizou os textos.

    Deus o abençõe,

    Allan

    ResponderExcluir
  3. Não concordo que o Liberalismo seja pior que o Legalismo. Ambos afastam almas dos céus e são igualmente ruins. Se o legalismo as vezes nao provoca esse afastamento diretamente, cria contendas, preconceito e intolerancia. Esses males são passados de geração a geração e de igreja a igreja. Felizmente alguns "abrem os olhos" e entendem qual é a Sã-doutrina.
    A Paz!

    ResponderExcluir

O seu comentário é muito importante, fique a vontade mas sempre que possível, deixe assinado o seu nome.