Pages

Palavra dura?

"Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir?" (Joa 6:60)

É comum hoje ouvir dizer que certo pregador tem uma “palavra muito dura” ou “gosta de bater no povo”, “desce o cajado”, e fiquei um pouco desconsertado quando constatei que esta era a opinião de algumas pessoas sobre mim também.
Depois de algum tempo pensando sobre o assunto, descobri que isto é bom, afinal, como comentei na postagem de certo irmão, Jesus também pregava assim, João Batista pregava assim, e Paulo não era diferente.
Jesus não pegava leve com os fariseus e dizia que eram “hipócritas” e “filhos do diabo”, chamou também Herodes de “raposa”, e João Batista chamou os fariseus de “raça de víboras”.
Muitos se escandalizaram ao ouvir Jesus dizendo que a sua carne deveria ser comida e o seu sangue bebido, por que não tinham o coração em Cristo, não sabiam sequer
o que estavam fazendo ao lado d’Ele todo aquele tempo, mas assim como Pedro, tenhamos a consciência de que, embora nos faça negar a nós mesmos, só a Palavra de Jesus nos dá vida.
Eu não sou tão duro assim, afinal, quando prego, procuro me livrar de qualquer preconceito, opinião pessoal e apresentar somente a Palavra, para que o ouvinte não queira se tornar um clone meu, como muita gente faz por ai, transformando o povo em cópias suas que devem agir e pensar exatamente igual a eles.
Todos nós temos a Bíblia e temos obrigação de ensinar o Evangelho com verdade e pureza, e depois o Espírito Santo mediante a Palavra de Deus muda o ser humano.
O que me entristece cada vez mais, é que os crentes têm se tornado cada vez mais parecidos com os fariseus que Jesus chamava de “filhos do diabo” e menos parecidos com Cristo.
Veja o que a Bíblia diz sobre o ouvir a Palavra:

Quem é de Deus escuta as palavras de Deus; por isso vós não as escutais, porque não sois de Deus." (Joa 8:47)

Até quando, os pregadores vão se vender por cachês e pregar somente o que as pessoas querem ouvir? Deus fala de acordo com a necessidade de cada um, e não de acordo com a vontade dos mesmos.
Que esta mensagem sirva para a nossa reflexão e para finalizar, deixo uma pergunta, e um texto Bíblico: De que é a Palavra que temos pregado e a quem procuramos agradar quando ministramos?

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. (2Ti 2:15)

Um forte abraço de vosso irmão em Cristo que está ainda aprendendo,

Luis Paulo Silva.