Pages

Crente doente, é possível?

Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.(Is 53.4 e 5)


Será que o texto bíblico citado dá base para dizermos que não se deve dizer que um cristão está doente?

A profecia de Isaías, quando diz que ele levou sobre si as nossas enfermidades, foi cumprida como podemos ver neste texto de Mateus 8.16-17:

"E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados, e ele com a sua palavra expulsou deles os espíritos, e curou todos os que estavam enfermos;
Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças."

Paulo orienta a Timóteo sobre uma enfermidade que este último tinha, e não diz que Timóteo não tinha fé para ser curado, ou que segundo Isaías, Timóteo teria "direito" de ser curado. Ao contrário, veja o que Paulo orienta em 1 Timóteo 5.23:

"Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades."

Será que Paulo ou Timóteo não tinham fé? Pensar que o cristão nunca deve estar doente não é um pensamento bíblico. Nós estamos corpos sujeitos a enfermidades e até à própria morte (que foi vencida por Cristo) mas sabemos que ainda que este corpo se desfaça, temos uma promessa de um corpo glorioso e vida eterna onde não haverá mais morte, dor, enfermidades, ou males.

Que o Senhor nos abençoe a cada dia.

LPS

Quando confundo o meu Deus com o o meu "eu"


A maior marca de um homem de Deus é o zelo pela Palavra de Deus. Não tem jeito. Não há quem possa ser homem de Deus e ao mesmo tempo não ser cuidadoso com o que está escrito.
Este cuidado é percebido principalmente pela prática dos mandamentos do Senhor, mas tentar parecer um homem de Deus pode ser uma armadilha e tanto para quem se preocupa mais com a aparência do que com a essência.
É impressionante como alguns crentes se gabam por "andar na linha". Penso: servir a Deus é fazer coisas ou deixar de fazer coisas? Não posso julgar o meu irmão pelos seus erros a acertos, e ai encontramos o primeiro problema de quem valoriza em primeiro lugar as aparências:o erro do próximo traz auto-afirmação, pois quanto pior é o próximo na prática das boas obras e quanto mais pecados ele aparentemente tenha, mais estes crentes se sentem perto de Deus.
Leva um tempo até perceber que muito do que se chama "convertimento" não passa de convencimento. O indivíduo se convence de que aquela roupa é mais adequada, aquele linguajar e aquela igreja são os melhores e daí para frente a salvação se torna mais distante do que nunca, pois a prática cristã começa a ser entendida por um estilo de vida e não por uma nova vida.
O próximo passo é servir a si mesmo. As convicções que tornam este "crente" um convencido não podem ser moldadas pela Palavra, e admitir que este ou aquele ponto de vista extremista é errado, jamais! Melhor é continuar exaltando o seu ego, a cada dia indo ao templo e dizendo: "Senhor! Não sou como este publicano pecador, eu dou dízimo, jejuo, dou esmolas...", tudo isto enquanto aquele que está bem próximo de Deus como nunca esteve o crente diz com humildade: "Senhor, não digno de ti.."

Que esta reflexão possa edificar ao leitor.

LPS

O que é importante para "blogar"?

Tenho visto pela blogosfera muitas pessoas ridicularizando a outras e até alguns com certo complexo de inferioridade simplesmente por que não escrevem como um mestre em letras.
Em primeiro lugar, é importante lembrar que a nossa língua portuguesa é muito cheia de detalhes e de armadilhas. Erramos achando que estamos acertando por muitas vezes, de forma que se fossem ficar na rede somente os blogs que contenham somente textos perfeitos gramaticalmente falando, ficariam pouquíssimos.

O importante, não é se o blogueiro escreve com perfeição, mas se escreve com sabedoria, motivado e guiado pelo Espírito Santo. A mensagem é o que importa. Digo mais: Se muitas pessoas que se importam tanto com a linguagem empregada se preocupassem mais com a mensagem a ser pregada, o Reino de Deus ganharia muito mais.

Blogar para mim é parte do IDE, é uma forma de evangelizar e ensinar aos que necessitam.

Em Cristo,
LPS

Ainda sobre a cruz

Ao ler o Blog do Ciro me deparei com um trecho da pregação de Spurgeon que trata sobre o mesmo tema de nossa postagem anterior, lá vai:


"Haveria Jesus de ascender ao trono por meio da cruz, enquanto nós esperamos ser conduzidos para lá nos ombros das multidões, em meio a aplausos? (...) se você não estiver disposto a carregar a cruz de Cristo, volte à sua fazenda ou ao seu negócio e tire deles o máximo que puder, mas permita-me sussurrar em seus ouvidos: 'Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?'" ("Holding Fast the Faith", The Metropolitan Tabernacle Pulpit, vol.34 [Londes, Passmore and Alabaster, 1888], p.78).



Em Cristo
LPS

Fique nesta cruz!


Jesus disse que quem quisesse segui-lo deveria tomar três importantes atitudes: Negar a si mesmo, tomar a sua cruz e só depois segui-lo.
Negar a si mesmo significa não fazer mais a própria vontade. É dizer não a qualquer desejo pecaminoso da carne, buscar santidade no corpo, alma e espírito.
Levar a cruz é suportar as situações adversas que alcançam os cristãos, geralmente perseguições que os inimigos de Deus nos fazem, tanto espiritualmente quanto fisicamente. Nesta vida, onde tudo o que se busca são vantagens, conforto e prazeres, levar a cruz é suportar as críticas, andar na contra-mão do mundo e isto vai causar algumas batidas bem feias. Não é sempre que os amigos e a família vão concordar com quem está levando a cruz. Talvez alguém até com boa intenção seja usado pelo diabo pra te desanimar dizendo: "tenha dó de você!".
O nosso eu precisa ser crucificado diariamente, assim como disse o irmão Paulo: "estou crucificado com Cristo".
Assim como foi com Jesus, somos constantemente convidados a descer da cruz. Por que carregar esta cruz? Por que estar nela, quando basta querer para deixar de sofrer tanto?

Simplesmente por que carregar e estar crucificado é a única maneira de estar perto do Senhor Jesus Cristo, e vale à pena, pode crer.


Em Cristo,
LPS

O que é Igreja Local? - Troca de e-mails.

Paz amados!
Troquei algumas idéias com o irmão James, e com a permissão dele postei aqui o nosso bate-papo. Confiram.

Texto publicado no site Adoradores em Casas:
Misericórdia, e paz, e amor vos sejam multiplicados, amados em Cristo.

Estivemos a pouco tempo (com nosso irmão Luis Paulo), em torno de uma discussão saudável, firmada na fraternidade entre irmãos (perguntas e respostas) e em especial, alertando sobre a necessidade da
Igreja Local, a união de todos aqueles que professam o nome do Cordeiro sobre a face da terra, independente do local [Mateus 18.20] para o qual ela (reunião de irmãos em Cristo) está reunida [1Timóteo 3.15];

E importante lembramos com relação as interpretações, que muitas das coisas que encontramos, é de cunho humano, por isso, nos ensina a sã doutrina bíblica que é necessário confrontar tudo o que encontramos com as Sagradas Escrituras; lembremos dos irmãos de Beréia [Atos 17.11];

Nossa geração necessita se permitir em entender através dos ensinamentos de Cristo, o quão é importante
SER Igreja, e não como as instituições religiosas estão ensinando, em IR a igreja...

... isto é uma grande, uma enorme diferença!

Há um abismo entre o
SER Igreja ensinado por Cristo e o IR a igreja ensinado pelos homens!!

O irmão Luis afirma que antes só conhecia a "Igreja Local" de Witness Lee (e como diz: o que acaba sendo mais uma denominação, pois é uma organização religiosa como qualquer outra); depois buscando na internet, por um acaso, encontrou um site (
www.estudosdabiblia.net) onde um irmão por nome Dennis Allan traz muitos estudos interessantes que o ajudaram muito, e embora ele defenda a idéia de igrejas locais, não tem nenhuma ligação com os ensinamentos de Witness, e também um outro irmão do site "o que respondi" e este último também defende a idéia de igrejas locais sem vínculo com Witnnes Lee.

E assim, questiona:

(1) Qual é a impressão que o irmão tem deles? Pergunto isto, por que me parece que há uma certa divergência, por exemplo, o Dennis Allan crê que não haverá milênio nem grande tribulação após o arrebatamento e não que nos dons espirituais operando nos nossos dias, o que é diferente do site "o que respondi".

jesusomaioramor - É sempre necessário buscarmos conhecimento bíblico, e a internet é uma ótima ferramenta neste sentido (mas, devemos ser cautelosos), sempre nos respaldando na Palavra de Deus que nos exorta a examinarmos tudo, retendo o bem [1Tessalonicenses 5.21];

Porém, são imprescindíveis termos consciência de que o entendimento da vontade e Palavra de Deus, é somente pela ação do Espírito Santo [1João 2.27], portanto, devemos buscar de Deus o entendimento, sempre em orações, jejuns e meditando e estudando as Sagradas Escrituras;

(2) As convicções divergentes de interpretação da Palavra de Deus não acaba gerando uma certa divisão no Corpo?

jesusomaioramor - As divergências em torno da Palavra de Deus sempre irão existir entre os homens, em relatos bíblicos encontramos várias, mas, é necessário que tenhamos uma vida pautada nos ensinamentos de Jesus através da mansidão, humildade, assim, evitaremos confrontos que podem trazer contendas, mas, a discussão (salutar, com ética, respeito) em torno da Palavra de Deus é necessária para haver edificação, pois, com elas, é trago ensinamentos aos irmãos que tem menos capacidade de entendimento;

Quando nos permitimos na nossa troca de conhecimento bíblico, sempre respaldado na Palavra de Deus, evitaremos as divergências mais sérias;

Quanto a divisão do corpo de Cristo, entendo que há sim, porém, devido as doutrinas existentes das denominações, pois, cada qual tem a sua... e nesta visão, radicalmente, defendo a extinção das “
instituições religiosas com nome de igreja”;

(3) Existem pastores, presbíteros, nestas igrejas locais?

jesusomaioramor - Quando meditamos nos ensinamentos divinos, encontramos em Efésios 4.11 e 1Coríntios 12, relatos de que Deus deu aos homens “dons ministeriais”, para o aperfeiçoamento e edificação do corpo de Cristo; estes dons não podem ser atribuídos como “cargos” (isto encontramos, e muito, nasdenominações), mas, sabemos que na obra de Deus, cada qual tem o seu chamado, e isto é aplicado na Igreja Local, onde a própria reunião dos irmãos separa aqueles pelos quais o Espírito Santo é manifestado para o que for útil [por exemplo, Atos 6.1-7]...

Podemos notar que alguns irmãos têm dons diferenciados uns aos outros [1Coríntios 12.7], um é exemplo para
pregar, outro para ensinar, há irmãos que melhor evangelizam e fazem visitas, outros na administração das reuniões, enfim, tudo deve ser feito para o bom desenvolvimento da obra de Deus, o congregar dos irmãos deve ser desimpedido da soberba e orgulho humano...

Nosso chamado divino é para servir ao nosso próximo, e não para ser servido como ocorre com os intitulados “pastores” nas
denominações...

(4) Existe ordenamento, ou algo assim?

jesusomaioramor - As consagrações ou ordenações, geralmente ocorrem nas denominações com maior ênfase, existe uma festividade em torno disto, como destaque, geralmente manipulado pelo pastor ao seu favorecimento, uma espécie de moeda de barganha que o pastor usa para manipular aqueles que lhe estão mais perto, ou os que entregam maiores dízimos ou ofertas aos cofres religiosos...

Nas
Igrejas Locais, os irmãos, quando tendo entendimento de que o importante é a obra de Deus, não se preocupam com este ou aquele detalhe de nomenclatura (como pastor, presbítero), pois, para os verdadeiros adoradores, somente há um Pastor, Jesus Cristo, somos todos conservos uns aos outros, servimo-nos, uns aos outros... somos todos sacerdotes do Altíssimo [1Pedro 2.5];

(5) Vocês consideram irmãos em Cristo salvos aqueles que congregam em igrejas denominacionais?

jesusomaioramor - É certo que sim, nas denominações há vários irmãos em Cristo que não se deixam contaminar com as doutrinas denominacionais, existem vários irmãos que se preocupam com o próximo, que adoram ao Senhor em espírito e em verdade, que não dobram o joelho diante os homens.

(6) Como são realizados a santa ceia e o batismo neste modelo de igreja no qual o irmão congrega?

jesusomaioramor - É necessário entendermos que, na Ceia o importante é o porquê da celebração e não quem parte e distribui o pão e o vinho; como também, não é quem batiza ou quem é batizado que importa, mas o batismo em si e em nome de quem e com que autoridade;

Ceia

Fazei isto em memória de mim” [Lucas 22.19]. A Ceia é nossa oportunidade para lembrar o sacrifício que Jesus fez na cruz, pelo qual Ele nos oferece a esperança da vida eterna;

A Ceia é entendida como um
ato de comunhão com o Senhor [1Coríntios 10.14-22];

Portanto, quando nos reunimos para a Ceia, nos reunimos em torno do Senhor Jesus, assim, partimos o pão, e tomamos o cálice do Senhor;

Batismo

Seria somente os “pastores” (denominacionais), os designados a promover o batismo??

Não!! Em ordenança, estabelecida em Mateus 28 [vs.19], Jesus em Sua graça, nos ordena (a todos) a
Grande Missão, ir, ensinando todas as gentes, batizando-as, e notadamente não classificou quem em especial é que deveria proceder, mas que houvesse o batismo.

Recorrendo as Sagradas Escrituras, de acordo com os que patrocinam a exclusividade de pastores denominacionais, estes serão confrontados de que
a todos é a incumbência do batismo, e não que recai somente aos “pastores”, pois quê, pela graça de Deus somos todos feitos sumo sacerdotes [1Pedro 2.9; Apocalipse 1.6; 5.10]!

O correto biblicamente falando, é que a todos quantos se fazem discípulos de Jesus e O seguem, lhes diz que,
indo, pregando, batizem, para todos!!

Outrossim, um outro relato bíblico que não dá exclusividade aos “pastores” (denominacionais), é Atos 8 [vs. 8-40], onde
Filipe, que não era pastor, batizou ao eunuco que creu que Jesus Cristo é o Filho de Deus!

(7) Compreendemos que a obediência ao pastor se limita ao que a Palavra autoriza, isto é, enquanto os ensinamentos dados pelo pastor estiverem em acordo com a Bíblia.

No livro de Apocalipse, o Senhor Jesus manda orientações aos anjos das igrejas, o que se refere aos líderes destas igrejas, correto? Entende-se portanto que cada igreja deve ter um líder, para que venha orientar os irmãos e que também é responsável por eles diante de Deus o que chama-se de pastor, conforme o texto abaixo:

Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. [Hebreus 13.17]

Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. [Hebreus 13.7]

Como isto é praticado nas igrejas locais? Existe em cada igreja um responsável como na igreja primitiva? Existe alguém que sirva como referencial, e que possa intervir caso haja algum tipo de problema na igreja entre os membros, enfim, que exerça liderança sobre a igreja local?

jesusomaioramor - Reportando-nos a resposta do item 3:

"
Podemos notar que alguns irmãos têm dons diferenciados uns aos outros [1Coríntios 12.7], um é exemplo para pregar, outro para ensinar, há irmãos que melhor evangelizam e fazem visitas, outros na administraçãodas reuniões, enfim, tudo deve ser feito para o bom desenvolvimento da obra de Deus, o congregar dos irmãos deve ser desimpedido da soberba e orgulho humano..."

... assim, nas
Igrejas Locais, haverão irmãos com dom ministerial que se dedicarão aos demais membros no sentido daquilo que Pedro (1Pedro 5) diz:

- para apascentar “
o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”, assim, não encontramos irmãos em liderança nas Igrejas Locais, mas, irmãos dispostos a cuidar e amar aos irmãos como se deles prestasse contas, porque isto??

Por que os irmãos que tem o
dom ministerial de apascentar, ou pastorear, buscam ter entendimento da Palavra de Deus, para ensinar e cuidar dos outros, portanto, merecem nosso respeito, e devemos nos sujeitar a eles, mas não como em obediência a eles, mas, ao ensinamento que eles transmitem da parte de Deus, portanto, nos sujeitar a eles refere-se a obedecermos ao que Deus nos tem ensinado através deles!!

Note ainda Hebreus 13.7, “
que vos falaram a Palavra de Deus”, pois quê, resumi-se em verdade que, novamente digo, nosso respeito e sujeição não é ao irmão que pastoreia, mas, sim, a Palavra de Deus que ele anuncia e nos ensina sobre a fé!!!

Quanto aos problemas entre irmãos, parece-me que isto somente ocorre em grande concentrações, onde os membros pouco se conhecem!!!

(8) O que a Bíblia dá a entender é que no NT a igreja de Cristo (membros do corpo) se reunia em lugares mais amplos, conforme o crescimento, e que também se reunia nas casas. Existiam também lugares chamados "igreja", veja: Porque antes de tudo ouço que, quando vos ajuntais na igreja, há entre vós dissensões; e em parte o creio [1 Coríntios 11.18];

Neste texto vemos a Igreja (membros do corpo) indo à igreja (um lugar específico onde se reuniam), o que está de acordo com o texto que segue o anterior: “
Não tendes porventura casas para comer e para beber? Ou desprezais a igreja de Deus, e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto não vos louvo. [1Coríntios 11.22];

Fica claro que a Igreja não se reunia somente em casas, mas em lugares que suportassem uma quantidade maior, de forma que na realização da Ceia, eles deixavam suas casas e iam a igreja onde se ajuntavam [1Coríntios 11.18];.

Qual é a sua visão sobre isto? A Igreja deve se reunir somente em casas, ou pode fazê-lo em lugares mais amplos?

jesusomaioramor - Temos em verdade, relatos bíblicos de locais mais amplos onde as pessoas se reuniam, mas, com relação a estes locais, note que a igreja de Corinto era de grande porte, portanto, é bem claro que não se reunia somente em casas “e iam a igreja onde se ajuntavam”, mas ocorria o que nestes ajuntamentos??

Como há relatos destes amplos locais, também há relatos de que ocorria neles várias contendas, dissensões, desprezos:

1.11 – “
Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós.”

2.5 – “
Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.”

5.1 – “
Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem abuse da mulher de seu pai.

11.17,18 – “
Nisto, porém, que vou dizer-vos não vos louvo; porquanto vos ajuntais, não para melhor, senão para pior. Nisto, porém, que vou dizer-vos não vos louvo; porquanto vos ajuntais, não para melhor, senão para pior.”

E com relação a igreja de Laodicéia, uma igreja rica materialmente, havia soberba, desprezo quanto a ação do Espírito Santo:

3.17 – “
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta;”

Como podemos notar, a soberba, a prepotência, o desprezo por irmãos menos favorecidos, sempre estarão rondando os arraiais de grande porte de reunião daqueles que se dizem ser povo de Deus, e em especial, em nosso tempo presente, onde o materialismo é mais presente (apesar de ser o objetivo em toda a história da humanidade)...

... por isso que, entendo ser as
Igrejas Locais (ou com número mais reduzido de membros), um melhor e mais favorável ambiente para a comunhão, pois, quando estamos em menor número, maior será nossa aproximação aos irmãos...

... além de que, um local mais amplo acarretará tão somente em maiores despesas, mais gastos, e em especial, menor o convívio entre os irmãos (deixando de momento de testemunhar e afirmar da exploração da fé alheia que existe na grande maioria das igrejas templos); conheço igrejas templos onde supera os 1.000, 4.000 membros, assim, como todos poderão se conhecer dentro de um mesmo local?? Impossível!!!

Lembrando-nos que Jesus deu um ensinamento de que nossas dádivas devem ser para auxiliar aos pobres e necessitados [Mateus 19.16-23; 25.31-46]; e quantas pessoas poderiam ser assistidas se todos os gastos com estes suntuosos e luxuosos templos evangélicos (e tantos outros) fossem direcionados a elas, os menos favorecidos??

Por isso que, permaneço firme no entendimento das
Igrejas Locais, tal qual encontramo-la em Atos dos Apóstolos:

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo (este é o templo em Jerusalém, onde os discípulos iam para transmitir os ensinamento de Jesus, nada tem de referências com os templos religiosos chamados de “igrejas”), e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração.


Enfim, rogamos a Deus que o Espírito Santo possa conferir em vossos corações o entendimento de SER igreja, para que, em amor fraternal, possam testemunhar em verdade da comunhão entre os irmãos para adorar a Deus, em espírito e em verdade [João 4.23,24], independente do local e da quantidade...

... disse Jesus em Mateus: “
Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles”...

... e alertou a mulher samaritana que independe o local da adoração: “
Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai” [João 4]...


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.


Fraternalmente,


irmão James.
Jesus, o maior Amor
Comunidade "Adoradores em Casas"
Blog "Adoradores em Casas"
Comunidade Orkut "Adoradores em Casas"

Curas, milagres e exorcismos são suficientes?

Uma terrível forma de enganação tem atingido muitas vidas que ficam confusas ao ver os sinais e maravilhas operadas em igrejas pseudo-evangélicas divorciadas da verdade, onde se dá ênfase a milagres, curas surpreendentes, exorcismos, etc.
A pergunta é:

Estas sinais são a comprovação de que tais denominações ensinam a verdade ou sequer tenham a aprovação de Deus?

Alguns textos da Palavra de Deus trazem esta resposta, veja:

Dt 13.1-3: QUANDO profeta ou sonhador de sonhos se levantar no meio de ti, e te der um sinal ou prodígio, E suceder o tal sinal ou prodígio, de que te houver falado, dizendo: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los; Não ouvirás as palavras daquele profeta ou sonhador de sonhos; porquanto o Senhor vosso Deus vos prova, para saber se amais o Senhor vosso Deus com todo o vosso coração, e com toda a vossa alma.

Mt 7.21-23: Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

Gl 1.8: Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.

2 Tess 2.7-12: Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado;[...] A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade.

Antigamente, os sinais comprovavam a Palavra pregada (Mc 16.20). Nesta época o Bíblia como conhecemos ainda não existia, por isto era necessária tal confirmação da parte de Deus. Nos dias atuais, conforme o que lemos acima é necessário observar os frutos para saber se os sinais são aceitáveis ou não. Não se deixe enganar por pessoas que têm dons mas brincam com o Evangelho. O que realmente importa são os frutos, isto é, se o ensinamento e conduta de tais pregadores e pastores são compatíveis com o que ensina a Palavra de Deus. Se a denominação ensina a teologia da prosperidade, ou deixa de ensinar a verdade sobre a salvação dos ouvintes, com certeza estes textos se encaixam perfeitamente a eles. Amém?

Luis Paulo Silva

Mulher Cristã - É pecado usar roupa curta?

Quando o assunto é relacionado à forma de se vestir, a polêmica é certa. Isto por que temos no Brasil atualmente os dois grupos nas igrejas: Cristãos de igrejas extremamente legalistas e cristãos extremamente liberais.
Não podemos nos esquecer de que a forma como nos vestimos faz parte do nosso testemunho ao mundo e serviço ao Senhor (1 Tim 2.9).
Nós como cristãos precisamos ser a diferença no mundo. 
A santificação exterior não reduz a necessidade de santificação interior e vice-versa. Por este motivo é que não adianta dizer que existem pessoas que se trajam "corretamente" e que no entanto, não são convertidas de fato interiormente (se é que existe alguma conversão exterior).
Defendo que o novo nascimento ocorre dentro do homem e se torna notório ao mundo através de suas atitudes, aparência, fala, trato com as pessoas, honestidade, amor ao próximo, etc.
Deixando de lado a tradicionalismo, precisamos entender que a Bíblia traz princípios que não podem ser ignorados.
Algumas pessoas a despeito de serem chamadas cristãs, acham coerente se vestir de forma a chamar atenção do sexo oposto, expondo partes do seu corpo, como na utilização de mini-saias, decotes extravagantes, roupas muito justas de tecidos finos, etc.
Seria possível uma mulher assim trajada sair para evangelizar? (Mc 16.15)
No mundo as mulheres e homens se vestem, andam, falam, se comportam de acordo com a sua mentalidade não transformada.
E o que diz a Palavra de Deus? "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." (1 Tess 5.23)
Não importa o quanto seja atraente por si só o corpo de uma mulher. Se ela é cristã deve se trajar de forma coerente com os ensinamentos da Palavra de Deus e glorificar ao seu Senhor com o seu corpo, pois ele é templo do Espírito Santo e precisa estar limpo. (2 Tim 2.21, 1 Co 6.19).
Não estou querendo impor com estas palavras uma roupa certa. Antigamente as igrejas pentecostais principalmente, impunham que as mulheres deveria usar apenas saias.
Diferente disto, sei que sendo uma peça ou outra, o importante é que o traje não seja mais um motivo para que alguém cobice o corpo de uma mulher que se diz de Deus e assim cometa com ela adultério em seu pensamento (Mt 5.28). 
Não se pode impedir que pensamentos impróprios venham à mente de alguém, mas é certo provocar tais pensamentos?
Cabe a cada cristão olhar-se no espelho antes de deixar a sua residência e se perguntar: Estou representando a Cristo para o mundo com a minha aparência? Que tipo de impressão causarei ao me aproximar de alguém do sexo oposto?

Sei que muitos podem me rotular de legalista, ou termos similares, mas a minha visão é que precisamos estar prontos a todo momento para apresentar Cristo a alguém.
Apesar de ser algo comum, a lascívia é obra da carne e consiste em despertar o desejo sexual ilícito. Certa vez li em meu Facebook a frase de uma mulher que dizia: "Mulheres, vistam-se da forma como você gostaria que as outras mulheres se apresentassem diante de seu marido".


Fica a dica!


Em Cristo,
LPS.








Quando subir é descer




Houve uma canção que agora já quase não se toca, mas há dias atrás foi muito reproduzida por todo o Brasil e até mesmo em rádios seculares, programas de televisão, foram feitas versões em pagode, e outros ritmos mais e de certa forma até enjoou, pois ninguém aguenta a mesma música tocando em tudo quanto é lugar por meses a fio. A música diz: "como Zaqueu quero subir".
Muitas pessoas do meio evangélico criticaram esta letra dizendo que era herética e blá blá e blá.
O que tenho a dizer sobre isto é que independentemente da conduta boa ou má de seu interprete ou de quem seja de fato o seu compositor, esta música tem uma profundidade e expressa uma lição que deve ser aprendida por todos nós.
Subir como Zaqueu não é subir como um farizeu, como na história em que Jesus narrava em Lucas 18. Esta história fala de um farizeu e um publicano. O farizeu se apresentava a Deus orgulhando-se de suas boas obras, dízimos e coisas similares. O publicano sequer ousava erguer a cabeça e pedia miseriórdia a Deus, por isto o primeiro desceu daquele lugar humilhado mas o publicano foi exaltado.
O subir de Zaqueu foi descer. Imaginem só que mico ele pagou! Um homem formado de posição alta deixando sua pastinha de lado e se enroscando numa árvore cheia de espinhos só para ver a Jesus.
Subir para Zaqueu foi se humilhar, se despir do próprio ego, limpar a casa para Deus entrar.
Subir simboliza a renúncia que todos, sem exceção temos de fazer todos os dias. Por mais crítico que seja, preciso olhar para a minha vida primeiro e reconhecer os meus pecados e pontos a ser melhorados. Quando faço isto sobra pouco tempo para procurar penas em ovos.
Aprendo com Zaqueu que conhecer a Jesus intimamente, no aconchego do lar exige muita dedicação e renúncia, porém uma vez demonstrada esta vontade de estar com Cristo, Ele se aproxima de nós e diz "desce depressa, hoje eu vou visitar a sua casa".

Em Cristo,

Luis Paulo Silva.




Entendendo a provação


Diante de situações desafiadoras da vida, nos achamos muitas vezes como derrotados antes do final da história. Tudo parece conspirar contra você? Qual tem sido a sua oração?
Pregadores triunfalistas modernos têm difundido na igreja a idéia de que o cristão deve de qualquer forma levar uma vida sem sofrimento e que qualquer dificuldade na vida do cristão é culpa do diabo e do cristão que deve estar em pecado, ou talvez não tenha entregado o dízimo, ou talvez não tenha feito aquela "corrente" poderosíssima pra lhe abrir os caminhos da saúde, da prosperidade, do amor, e por aí vai.
A igreja têm se enchido por causa deste tipo de ensino de pessoas que estão fugindo das tribulações da vida, e que a cada momento se culpam por não ter fé suficiente e por isto não alcançam as bênçãos de Deus.
Estive pregando numa igreja neste final de semana, e Deus me direcionou a falar sobre oração e a vontade de Deus. Logo de cara já se deduz que não foi um culto tão barulhento como seria se o tema fosse determinação e benção, ou profetizar a vitória, enfim, parece que quando se prega a Palavra de Deus assim como ela é as pessoas de início não se agradam como seria o ideal.
Usei como base a história de Ana encontrada no livro de 1 Samuel cap. 1, onde a Bíblia diz que que "o Senhor lhe havia serrado a madre".
Se Ana vivesse nos nosso dias com certeza alguém diria a ela que fosse pedir oração para o profeta x ou y. Talvez alguém fosse determinar a bênção na vida dela ou diria que o diabo estava impedindo a felicidade dela. Alguns pregadores possivelmente diria à Ana que lhe faltava fé, por isso é que não tinha sido abençoada ainda.
A verdade é que Deus não queria que Ana engravidasse por enquanto. É incrível como pessoas que dizem ter entregado suas vidas nas mãos de Deus e professam confiança n'Ele, vivem com medo do diabo, achando que tudo que acontece de errado é culpa do inimigo.
É uma questão de lógica: se estou nas mãos de Deus, só pode acontecer comigo o que Ele quiser.
O cristão que conhece a Palavra de Deus não pede para Deus o livrar de uma luta antes de perguntar o que ele precisa aprender com isto. Sair da provação antes do tempo seria um atrofiamento espiritual.
Há quatro meses passei por algo assim. Meu filho nasceu e foi direto para a UTI e a família inteira ficou muito preocupada em especial eu e minha esposa que chorava muito por não poder levar o nosso filho pra casa e também por vê-lo dia após dia com agulhas nos braços, oxigênio, enfim, foram dias terríveis para nós.
Em meio à tanta dificuldade alguém me disse: "Luis Paulo, você deve orar à Deus e dizer que você não aceita o seu filho nesta situação, você tem que determinar a cura dele, etc."
Confesso que na hora do desespero a gente realmente pensa muita coisa errada, e até me ajoelhei com o propósito de orar desta maneira, mas logo ao iniciar a oração eu me senti mal em pronunciar estas palavras diante de Deus. Aprendi a melhor lição que poderia. Se Deus tirasse o meu filho daquele lugar no mesmo momento em que eu orasse, eu perderia a oportunidade de aprender mais d'Ele, e com certeza passaria por mais tribulações futuramente.
Minha oração naquele dia foi mais ou menos assim: "Senhor, a minha vida está em tuas mãos, assim como a vida do meu filho. Enquanto o Senhor quiser que ele esteja aqui, eu também o quero. Me ajude a aprender tudo o que o Senhor quiser me ensinar com esta situação, se quiser levá-lo, ele é seu, se quiser deixá-lo e com saúde, esta é a minha vontade, mas seja feito o que o senhor quiser...".
Este é o resumo da minha oração. Dias depois eu estava com o meu filho nos braços e seria outra pessoa se não tivesse passado por isto. A dificuldade foi um presente que Deus me deu.
A doença só pode te alcanças se Deus permitir, e é lógico que ele vai se você não se cuidar corretamente. A pobreza só vai te assolar se Deus permitir e é lógico que você será assolado por ela se não souber utilizar-se de forma correta do dinheiro.
Concluindo, faça a sua parte. Peça se quiser receber. Trabalhe se quiser dinheiro, se cuide se quiser saúde e deixa que Deus sabe muito bem o que fazer por você, para você e através de você.

Em Cristo,

Luis Paulo Silva.

Separações religiosas


Alguém ai gosta de rap?

Não me considero nenhum "mano" também não uso calças frouxas, mas admiro muito a profundidade da músicas do grupo Ao Cubo, três jovens que fazem rap pra Deus.

As músicas são recheadas de uma visão realista, às vezes críticas ao sistema religioso e expressam o amor de Deus que abrange a todos: "sua misericórdia atinge só quem se rende
Se arrependa do que fez se renda sem timidez, talvez seja a chance, a última vez".

Ontem mesmo estava meditando na história de mulher samaritana, especificamente ao fato de ela professar fé em Deus, ter desejo de adorá-lo e servi-lo mesmo estando ainda em pecado.

A pergunta que ela faz a Cristo ainda é comum nos dias de hoje na boca de milhares de vidas perdidas em meio ao disse-me-disse das instituições religiosas e dos seus líderes. Onde adorar a Deus? No monte ou no templo? A resposta do mestre deixa claro o que o livro de Samuel já dizia. Adorar a Deus não é participar deu ma reunião em um lugar sagrado. Adorar a Deus é ser um lugar sagrado dedicado à Ele. Deus disse a Samuel que não é como o homem que vê o exterior pois ele conhece o coração do homem.

O maior prejuízo que a religiosidade traz para a igreja de Cristo é a separação entre os irmãos. Na tentativa de chegar ao céu primeiro acabam sem perceber apostando corrida destino ao inferno.

Leia o trecho a música do grupo Ao Cubo e reflita:

É tanta coisa que minha alma fica tímida, cansada, fria, opaca, não brilha
Pai te peço desculpas pelo meu rosto carrancudo e por me esquecer que não sou filho único
Meu egoísmo se escondeu, não encontrei, não dividi o amor que o SENHOR Me deu com ninguém
As suas mensagens no coração aprisionei, o discurso de meus dias não foi segundo a lei

Eu estava lá no meio pra falar com os irmãos da fartura de amor que tu me destes nas mãos
E eu agi como um ator sem emoção, dentro da jaula, cara a cara com o leão...


Luis Paulo Silva.

A certeza da vitória


Quando lemos a história de Israel, se torna marcante a trajetória do rei Davi, o mais notável dos reis.
Ouvi ontem no culto de santa ceia uma mensagem sobre a atitude vencedora de Davi quando em confronto com o filisteu Golias. Os soldados de Saul estava humilhados diante dos filisteus. Não havia quem se dispusesse a lutar contra Golias, e este zombava de Israel inteiro.
Vemos na atitude de Davi algum pontos interessantes.
Interresse na glória de Deus

Amor ao serviço acima do amor à própria vida: Davi arriscava a sua vida pela obra que o seu pai lhe confiava, e estava disposto a se arriscar e não foi diferente com Golias.

Histórico de vencedor: Mesmo nas situações humilhantes Davi não esperou a platéia para mostrar o seu valor. Lá no campo se que ninguém o observasse, numa condição humilhante com relação às posições elevadas dos seus irmãos Davi mostrou o seu valor não aos homens, mas a si mesmo e a Deus. Igualmente, não devemos esperar para ter a postura correta somente em cargos destacados na congregação, a rua, o mundo é o lugar certo para quem quer ter as maiores experiências com Deus. Infelizmente, hoje as lideranças estão mais preocupadas em posicionar em lugares de destaque na igreja as pessoas que têm um melhor marketing pessoal, que falam melhor, se vestem melhor ou por apadrinhamento. Isto tem causado danos às igrejas, pois o destaque deve ser precedido pela experiência.

Coragem e confiança em Deus: Não é preciso discorrer muito sobre este aspecto da vida de Davi. A sua experiência trazia cada vez mais confiança em Deus e gerava no seu coração a coragem que ninguém mais tinha dos seus contemporâneos.

Estes pontos faziam com que Davi encarasse a batalha de forma diferente dos demais soldados e dos seus próprios irmãos que se impuseram à sua atitude. Todos estavam desfalecidos, esperando o pior e davam pouco de si. Davi mesmo sabendo que suas chances sozinho eram mínimas, esperava a vitória pois sabia que não era com a sua força que se apresentaria ao inimigo. A fé é isto. Compreender a vontade de Deus para o momento e agir de forma coerente, confiante esperando o que Deus pode fazer sem duvidar, pois a fé é a prova das coisas que não se vêem e a certeza das coisas que se esperam.


Luis Paulo Silva

O problema da crítica


Navegando pela blogosfera, observei uma coisa que me deixou pensativo. Parece que muitos irmãos se dedicam tanto em defender a Palavra ou a fé, que se esquecem de divulgar a Palavra e a fé.
Não estou dizendo que não é importante refutar os abusos, maus costumes que escandalizam o mundo, o comércio na igreja, etc. Mas penso que quando isto se torna o foco da nossa atenção na maior parte do tempo nos tornamos aptos a tropeçar nas próprias palavras pois criticar pode virar um vício. Além disto, pode este vício nos impedir de ver as coisas boas nas pessoas.
É claro que as qualidades não cobrem defeitos e maiores defeitos não justificam os menores, mas tenho certeza de que vale a pena procurar as qualidades e focar nelas e aprender com elas.
Por exemplo: Será que todos os irmãos que criticam os que vão ao monte orar oram tanto quanto estes? Podemos ver diferente; o cristão pode orar onde quiser, e se ele se sente bem no meio do mato pra clamar até ficar rouco, quem sou eu para julgá-lo? Mas se o leitor me perguntar o que penso sobre isto, direi que a igreja é o lugar mais adequado para orar, mas Deus o ouve onde quer que esteja.
O mesmo penso sobre campanhas. Ninguém pode estipular um prazo para Deus fazer algo, ou sequer exigir que ele faça algo. Mas acho louvável e coerente a atitudes de irmãos que oram durante semanas por um propósito específico, mas sem aquelas superstições de "não pode quebrar a campanha". Campanha ao meu modo de ver e na minha prática é um propósito de oração por uma necessidade específica em um lugar específico por um período de tempo específico, e pronto. Depois deste período, posso continuar orando por este motivo, mas individualmente.
Deus nos chamou para edificar e não para derrubar.
Existem pessoas que precisam ser corrigidas duramente e outras que precisam ser ensinadas, é preciso perceber isto melhor.
Quando pensar em criticar alguém, pense: O que estou fazendo para mudar esta situação? Qual é o meu objetivo, ajudar ou criticar por criticar somente?

Em Cristo,
Luis Paulo Silva.

Sobre o deus "eu"



A maioria das pessoas confessam crer em Deus. A verdade é que os ateus têm razão, deus não existe. Pelo menos este deus não.
Estes que dizem ter tanta fé em Deus e na verdade sequer conhecem a palavra dele. Conciliam esta entidade fictícia com o Deus da Bíblia sem a menor noção do dano que esta fé causa.
Jesus disse: "examinai as escrituras".
Quando conhecemos a Deus de fato, temos a impressão de que nunca nos referimos a ele em uma oração antes e também nunca antes sentimos a sua presença ou ouvimos a sua voz.
Isto ocorre por que antes de conhecê-lo nós críamos num personagem criado à nossa semelhança, com os mesmos pensamentos, mas sem limite de força, poder e conhecimento.
Veja este exemplo que é apenas uma ficção:

"Dona Maria é uma mãe coruja. Ama aos seus filhos, protege-os, defende-os somente por que são os seus filhos. Não importa o quanto estes filhos façam coisa que desagradem ao Deus da bíblia, ela sempre os ama e defende e acredita fortemente que nenhum deles merece a perdição eterna. Julio, o seu filho mais velho era alcólatra. Teve muitas namoradas, pois era muito bonito, e você sabe leitor, hoje em dia se dá beijinhos só na mamãe, com as namoradas sempre se vai mais longe, afinal que problema há em fazer sexo antes do casamento?
Júlio sempre foi um bom filho. Ajudava a sua mãe quando ia ao mercado, cuidava dela sempre que estava doente, preocupava-se muito com a sua família e venderia até a roupa do corpo se algum familiar precisasse realmente disto. Certo dia, voltando de seu trabalho, Júlio sofre um acidente numa rodovia, onde uma caminhonete desgovernada o pegou sem que pudesse prever. Júlio teve uma morte súbita. Não pôde sem encontrar com a sua mais nova namorada com quem havia conbinado ir à um motel de luxo, nem rever a sua mãe.
No dia de seu velório, a mãe chorando ouve frases como: 'ele está muito bem agora e cuidará de você" ou 'passou deste mundo para um muito melhor' ou 'onde quer que esteja, com certeza estará olhando por você'."

Dona Maria tem certeza de que seu filho morreu e foi para o céu. Ele era um bom rapaz, carinhoso, responsável e trabalhador, jamais fez mal a alguém, por isto Deus não o permitiria ir para o inferno.
Podemos pensar no deus da Dona Maria? como ele é?
Na verdade o deus que existe na cabeça da Dona Maria é uma mãezona superprotetora que tem poder de salvar o seu filho mesmo da condenação eterna. Ela alimenta este deus todos os dias quando reza à ele, e não aceita que alguém diga que Deus tem características, caráter diferentes deste deus que ela crê.
O religioso crê no próprio deus também. Geralmente é um Deus carrasco do tipo "pecoumorreu" que exalta os exaltados e humilha os humilhados. Este Deus geralmente é muito cultuado em muitas instituições religiosas e se encaixa perfeitamente nos seus estatutos e leis humanas.
De forma geral, as pessoas criam um Deus moldado aos seus costumes, pensamentos e sentimentos, enquanto os que realmente têm um encontro com Deus moldam os seus costumes, pensamentos e sentimentos pela Palavra de Deus.
Muitas pessoas estarão surpresas no dia do juízo. Vão ouvir as duras palavra do Deus que nunca quiseram conhecer: "Não vos conheço".

No dia do juízo não é o seu deus que estará te esperando, mas sim o Deus da Bíblia que você pode hoje mesmo conhecer. Vale à pena pensar nisto?


Em Cristo,

Luis Paulo Silva.

Como surgem muitas Heresias


"Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus."

Queridos, dando uma passada no blog Caminhando na Graça, de Graça tive o desprazer de assistir ao vídeo que mostra a Gretchen afirmando com toda a convicção que uma frase que surgiu na sua cabeça estaria na Bíblia Sagrada.

Este triste e ridículo fato me fez meditar em algo muito importante: como estão sendo formuladas as doutrinas no seio da Igreja?

Na verdade, nenhuma doutrina precisa ser formulada, ou reformulada, pois está tudo prontinho na Bíblia, é só ler e buscar a revelação do Espírito Santo para compreender, mas o que me deixa boquiaberto é que dia após dia, são formuladas doutrinas erradas a partir de frases de pregadores, músicas, por exemplo: Um certo pregador famoso, já há muito tempo atrás tinha mania de dizer para os crentes pegarem o diabo pelos chifres, o que com certeza fazia os novos convertidos o infantis na fé acreditarem que é possível ou correto afrontar o diabo desta forma. Uma música se referia a Jesus como "o homem dos milagres" e dizia que ele misturava o seu sangue com óleo para as pessoas e outras dizem que Deus não é Deus de longe, mas sim de perto. São coisas que às vezes passam desapercebidas, mas que geram grande prejuízo para a igreja. Alguém canta aqui, outro alguém acha bonitinho e prega aquela ideia alí, e daqui a pouco temos mais uma heresia disseminada no meio de Igreja.

Há também aquelas pessoas que atribuem aos seus pastores-ídolos a autoridade de mudar o que está na Bíblia. Pode estar claramente explicado na Palavra de Deus determinado assunto, mas o importante é que o suposto "homem de deus" falou.

Estejamos atentos amados para não falar tudo o que ouvimos. Os irmão de Beréia conferiam a mensagem de Paulo com as Escrituras, por que faremos diferente?

Reflita.

Em Cristo,
Luis Paulo Silva

Confira o vídeo: