Pages

Quando subir é descer




Houve uma canção que agora já quase não se toca, mas há dias atrás foi muito reproduzida por todo o Brasil e até mesmo em rádios seculares, programas de televisão, foram feitas versões em pagode, e outros ritmos mais e de certa forma até enjoou, pois ninguém aguenta a mesma música tocando em tudo quanto é lugar por meses a fio. A música diz: "como Zaqueu quero subir".
Muitas pessoas do meio evangélico criticaram esta letra dizendo que era herética e blá blá e blá.
O que tenho a dizer sobre isto é que independentemente da conduta boa ou má de seu interprete ou de quem seja de fato o seu compositor, esta música tem uma profundidade e expressa uma lição que deve ser aprendida por todos nós.
Subir como Zaqueu não é subir como um farizeu, como na história em que Jesus narrava em Lucas 18. Esta história fala de um farizeu e um publicano. O farizeu se apresentava a Deus orgulhando-se de suas boas obras, dízimos e coisas similares. O publicano sequer ousava erguer a cabeça e pedia miseriórdia a Deus, por isto o primeiro desceu daquele lugar humilhado mas o publicano foi exaltado.
O subir de Zaqueu foi descer. Imaginem só que mico ele pagou! Um homem formado de posição alta deixando sua pastinha de lado e se enroscando numa árvore cheia de espinhos só para ver a Jesus.
Subir para Zaqueu foi se humilhar, se despir do próprio ego, limpar a casa para Deus entrar.
Subir simboliza a renúncia que todos, sem exceção temos de fazer todos os dias. Por mais crítico que seja, preciso olhar para a minha vida primeiro e reconhecer os meus pecados e pontos a ser melhorados. Quando faço isto sobra pouco tempo para procurar penas em ovos.
Aprendo com Zaqueu que conhecer a Jesus intimamente, no aconchego do lar exige muita dedicação e renúncia, porém uma vez demonstrada esta vontade de estar com Cristo, Ele se aproxima de nós e diz "desce depressa, hoje eu vou visitar a sua casa".

Em Cristo,

Luis Paulo Silva.




5 comentários:

  1. E Luís, mandou bem no texto, eatá de parabéns.
    Ás vezes é necessário nos desfazer do ego e de aparências, porque perante a Ele somos todos iguais.

    Abraços, do seu amigo Raul Ramon Ramirez shauhsuah

    ResponderExcluir
  2. Romeu!

    Prazer tê-lo no meu humilde espaço! Quer dizer que você anda passando por aqui heim!

    Fica com Deus, forte abraço.

    Luis Paulo Silva.

    ResponderExcluir
  3. Graça e Paz irmão Luiz Paulo

    Li no Genizah um artigo que falava sobre um ambate judicial quanto a autoria desta música, assunto que, sinceramente, não me acrescentou nada na fé, porém dentro de tantos comentários, encontrei sua pergunta quanto a uma afirmação solta sobre a letra da mesma canção. Entrei então em seu blog para conhecer um pouco mais sobre o autor da pergunta e sobre os temas publicados, encontrei esta publicação sobre o Zaqueu da canção.

    Batata! Resolvi comentar e te indicar nossa última publicação "Não se resume apenas em cantar..." (http://bit.ly/dDiLJf), que foi publicada antes mesmo de minha visita no Genizah. Gostaria muito da sua opinião sobre nosso artigo.

    Grato e parabéns pela pergunta que, ainda continua sem resposta. Aliás, eu mesmo estou interessado em saber de onde veio o comentário com começou isso tudo, assim que souber te aviso.

    Forte abraço, em Jesus, O Cristo!
    sigaomestre.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Paz Edinelson!

    Fico eliz por tê-lo visitando o meu humilde blog!

    O que quis dizer com o meu post é que não me importa quem escreveu, a música tem uma profundidade sim, e com certeza falta no meio dito evangélico entrega, santidade, desapego das coisas materiais, coisas que podem ser aprendidas com o nosso amigo Zaqueu.

    Citei esta música pois há algum tempo eu já havia escrito sobre o tema e achei uma bênção (confira: http://despertaiceifeiros.blogspot.com/search/label/%22...pois%20este%20tamb%C3%A9m%20%C3%A9%20filho%20de%20Abra%C3%A3o.%22%20-%20Parte%201

    http://despertaiceifeiros.blogspot.com/2008/10/pois-este-tambm-filho-de-abrao.html ).

    É claro para quem acompanha o meu blog há mais tempo que eu sou contra o estrelismo, a falsa conversão e muitas coisas mais que têm invadido as igreja e a vida dos cristãos.

    Se a letra desta música em nada serviu para muito que cantam da boca para fora, posso afirmar que para mim e muitas outras pessoas foi uma bênção.

    Deus te abençõe.

    Luis Paulo Silva.

    ResponderExcluir
  5. Graça e Paz Luiz, obrigado pela visita e comentário em nosso blogs (Siga o Mestre), gostaria de convidá-lo a nos seguir assim como estamos seguindo aqui seu espaço virtual.

    Forte abraço, em Cristo!
    sigaomestre.blogspot.com

    ResponderExcluir

O seu comentário é muito importante, fique a vontade mas sempre que possível, deixe assinado o seu nome.