Pages

Sobre intercessão


No livro do profeta Ezequiel cap. 22 e versículos 30 e 31 lemos:
"E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei. Por isso eu derramei sobre eles a minha indignação; com o fogo do meu furor os consumi; fiz que o seu caminho recaísse sobre a sua cabeça, diz o Senhor Deus."

Os versículos que antecedem este texto falam sobre a desobediência do povo a Deus, fala sobre coisas terríveis que aquele povo praticava todos os dias.
Servimos a um Deus que é o único Deus. Ele é vivo, ele é bom, ele é justo. Por este motivo destruiu Sodoma e Gomorra, e algumas cidades circunvizinhas, por causa da sua justiça e do pecado do homem.
Você pode pensar "ora, mas isto foi no antigo testamento" mas e o que aconteceu com Ananias e Safira, na época da Igreja Primitiva, significa algo para você? A verdade é que Deus ainda castiga, ainda pune, ainda mata e isto não o faz menos amoroso, nem menos justo, pelo contrário.
Observando alguns texto hoje em diversos blogs por onde passei esta madrugada observei algo muito interessante. As pessoas estão prontas a falar sobre as atualidades, sobre as novelas, sobre quem saiu ou entrou na convenção, na igreja, quem comprou avião, quem pediu dinheiro, enfim, apologética é importante e necessária para os cristão atuais, mas não podemos perder o nosso foco, a visão que Deus nos deu, o objetivo da nossa conversão: gerar frutos.
Enquanto o povo peca, não podemos estar nos preocupando muito com outras coisas porque as pessoas estão indo ao inferno sem que percebamos.
Muitas vezes o que faz a diferença entre a morte e a vida na vida do pecador é a sua intercessão por ele. O que vai determinar se aquela é a última chance que Deus dá a ele ou se haverá mais uma oportunidade é a sua oração.
Deus deu a nós que somos seus filhos autoridade, poder sobre potestades, e promessa de ouvir a nossas orações.
poderia citar muitos exemplos bíblicos de intercessão, mas com certeza não é necessário. Quero apenas que você leitor, reflita profundamente sobre a sua obrigação de interceder pela sua família, pelo próximo no seu trabalho, escola, igreja onde for. Esteja na brecha.


Em Cristo,
Luis Paulo Silva.

O papel da Pregação e do Ensino da Palavra de Deus



É comum se ver hoje pessoas intituladas “pregadores”. Estes pregadores em sua maioria ganham espaço trazendo mensagens “avivalistas”, ou seja, mensagens barulhentíssimas pelas igrejas que na sua maioria são pentecostais. Existe um estilo quase comum nas mensagens destes pregadores, a saber: som alto, pulos, gritos, e normalmente um forró para fechar mensagem, pois parece que com ritmos menos agressivos o fogo não pega.

O que se pode observar é que aparentemente perdeu-se em algum lugar da história o propósito da pregação do Evangelho e do ensino.

Edificação nada tem a ver com a emoção e as manifestações tão buscadas na maior parte das grandes igrejas brasileiras.

O tal do “reteté” faz uma separação entre os crentes de “fogo” e os crentes frios. Tem até supostos “pregadores” que brincam chamando os presbiterianos de “sorveterianos”, e as gracinhas vão muito mais longe.

Já fui bastante criticado pela posição que tenho com relação a estes movimentos carnais que se apossaram da igreja. A Palavra de Deus é bem clara: “A manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil.” (1 Cor 12.7). Pergunto então: Qual é a utilidade que tem as tais “danças espirituais”, dos aviõezinhos e rodopios que ridiculamente se fazem aos términos destas mensagens ao som de um forrózinho?A quem edifica ou a quem salva? Pelo contrário! Somente escandaliza os não crentes que muitas vezes vão à igreja em busca de conforto espiritual e chegando lá encontram cenas que muitos já viram pelos terreiros.

O verdadeiro pregador é o evangelista que sai às ruas anunciando o Evangelho, a Graça de Deus. Tagarelar frases feitas para uma multidão de crentes não é pregar.

O verdadeiro ensinador não precisa estar sempre aos berros para impressionar o público, ou platéia, ou escolher uma música que mexa com as carnes no final do sermão. O poder da Palavra pregada vem do Espírito Santo e não da manipulação psicológica. O ensino deve ser compreendido, assimilado, praticado.

Em resumo, a finalidade da pregação é trazer vidas a Cristo e a finalidade do ensino é manter estas pessoas firmadas em Cristo. A igreja hoje precisa de ensinamento. Muito ensinamento.

Em Cristo, Luis Paulo Silva.