Pages

Resposta às Testemunhas de Jeová: Todo joelho de dobrará ao nome de Jesus?

Características divinas de Cristo no Apocalipse.(Cap. 1,2,3.)

Encontramos no livro do Apocalipse algumas características divinas atribuídas a Jesus:

A onipotência de Cristo é expressa em declarações como:
Ap 1.7-8; 1.17-18; 2.8 (comparar estes textos com Is 44.6; 48.12); Ap 4.8, 22.12-16.

A onisciência de Jesus é declarada nos seguintes versos:
Ap 2.23 (comparar com Sl 139).

Compare Ap 1.7 com Mt 16.27; 26.63,64. Este é o cumprimento da profecia encontrada em Zc 12.10;14.5.

Adoração a Jesus no Apocalipse (Cap. 4,5)

Nestes capítulos, João é arrebatado em espírito e tem uma visão do céu, onde vê um trono branco, e o Pai assentado sobre o trono. Os personagens que fazem parte desta cena adoram ao que está assentado sobre o trono com as seguintes palavras:
"Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo Poderoso, que era, e que é, e que há de vir." (Cap 4,verso 8)
Jesus é apresentado como o "Senhor, que é, e que era, e que há de vir,Todo Poderoso" no cap 1.8. Agora estas características são atribuídas ao Pai.

A adoração ao Pai continua nos seguintes termos: "os animais davam glória, o honra e ações de graças ao que estava assentado sobre o trono, ao que vive para todo o sempre"(4.9). A expressão "vive para todo o sempre" não é equivalente a "nunca irá morrer" ou "imortal", pois neste caso cada anjo mereceria este mesmo título, antes disto, expressa a eternidade de Deus, assim como vimos em 4.8, mostra que Deus é eterno, isto é, não tem início nem fim. Esta expressão "vive para todo o sempre" é usada com relação a Jesus em 1.17-18, onde ele acrescenta que é o Primeiro e o Último, uma forma de apresentar-se como um ser eterno não criado, logo, criador.

No capítulo 5 de Apocalipse, Jesus é apresentado como o Cordeiro, pois este trecho mostra o impacto que teve a morte de Cristo no mundo espiritual, e como foi honrado diante de todos os seres existentes.

Vemos em 5.8: "prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos". Prostrar-se é uma forma de adoração, compare com Exodo 20.4-5; Mateus 4.9-10.

Em continuação, os seres espirituais e depois todas as criaturas da terra adoram ao Pai e ao Cordeiro. O Cordeiro é digno de receber a mesma adoração dada no cap 4.11. Veja: "era o número deles milhões de milhões e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graça. E ouvi toda a criatura que está no céu e na terra, e debaixo da terra, que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono e ao Cordeiro sejam dadas ações de graças, e honra e glória e poder para todo o sempre." Veja que não é dirigida a adoração somente ao Filho, nem somente ao Pai neste texto, mas a ambos e nos mesmos termos. A Palavra de Deus diz que devemos honrar ao Filho, assim como honramos ao Pai (Jo 5.23), pois ambos são capazes dos mesmos feitos.
A leitura cuidadosa deste texto do Apocalipse fa compreender com mais clareza o texto de  Filipenses 2.9-11. A TNM traduz "em nome de Jesus", mas vemos que a adoração em Ap 5.13, é dirigida a Jesus, e não somente ao Pai através de Jesus, como a TNM tenta distorcer. Este texto fala de reconhecimento ao Cordeiro, é o cumprimento da profecia de Isaías 45.23.

Jesus como Filho, se submete ao Pai.

Muitos usam textos que apresentam a Jesus se submetendo ao Pai, entendendo que isto muda algo em sua essência, mas este argumento falacioso se desfaz quando analisamos o texto de 1 Coríntios 11.3 que diz: "Quero porém, que saibais que Cristo é a cabeça de todo homem, o homem a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo."
A Bíblia diz que o homem é a cabeça da mulher, mas isto não faz a mulher menor que o homem em essência, em natureza, mas apenas no que se refere à hierarquia. Assim também o Pai é maior do que o Filho em hierarquia mas não em essência.
Isto foca claro, por exemplo em João 5.17-30, onde ao mesmo tempo que Jesus diz que é o Pai quem o ensina, ele diz que "tudo quanto ele faz, o Filho faz igualmente". Isto inclui ressucitar mortos, julgar o mundo. Pergunta a alguém que crê que o Pai é Deus mas que Jesus não o é: Quem pode dar a vida a alguém que já morreu? A resposta com certeza será "Deus", mas a Bíblia diz claramente que "assim também o Filho vivifica aqueles que quer". Isto é, Jesus tem poder de trazer à vida quem ele quiser, ele tem total autonomia sobre a vida e a morte.

Dizer que que Jesus é o Filho de Deus, não dá a ele apenas um título, como crêem alguns que dizer ser Jesus um anjo exaltado. Jesus é Filho de Deus por que compartilha da mesma essência do Pai, e tem as mesmas capacidades.
Os Judeus consideravam uma blasfêmia alguém referir-se como filho de Deus nos termos que Jesus usava, pois segundo o pensamento deles, um filho teria a mesma natureza do pai, logo, o filho de Deus deveria ser também Deus. Este foi o motivo por que quiseram apedrejar a Jesus. Leia atentamente o texto de João 5.17-19; 8.41; 8.54-59.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário é muito importante, fique a vontade mas sempre que possível, deixe assinado o seu nome.