Cristo era o centro da pregação e vida de Paulo?


Testemunha de quem? – Parte 2
Após receber uma reposta muito interessante em minha página do Facebook, sobre o tema “Testemunha de quem?”, resolvi postar a resposta diretamente neste blog, devido ao tamanho do texto.
Testemunhamos a Cristo por que é assim que a Bíblia ensina e ponto. Jesus testemunha de seu Pai, Deus, e nós levamos o testemunho de Cristo, justamente por que só Cristo nos conduz ao Pai. Quero dizer que a mensagem do evangelho é cristocêntrica, pois assim era a mensagem que Paulo pregava como veremos a seguir nas referências que serão citadas.
Romanos 10.13: “por que: todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”
Paulo escreveu esta carta aos irmãos que estavam em Roma, e citou um texto do AT que se encontra em Joel 2.32. A Bíblia está cheia de referências ao “nome do Senhor”, inclusive o mandamento que diz “não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão”. Os judeus temem tanto este mandamento que até hoje muitos se referem a Deus como “O Nome”.
Quando a Bíblia fala sobre o nome de Deus, refere-se à sua personalidade única e poder. É a referência à pessoa de Deus, mesmo que chamemos de Pai, como fez Jesus em suas orações, ou Senhor, ou Deus. A Bíblia em Mateus 28.19 nos manda batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo: O nome do Pai ninguém sabe exatamente, apenas sabemos como os antigos judeus o chamavam, o nome do Filho é Jesus, mas este é o nome dele quando foi encarnado, ninguém sabe qual é seu verdadeiro nome, embora seja chamado nos céus de “A Palavra”, conforme Apocalipse 19.13, e o nome do Espírito Santo a Bíblia também não revela. É claro que quando ela diz “batizando-os no nome do...” está se referindo à autoridade que há de Deus em nós para batizarmos com o aval d’Ele.
Outro exemplo interessante é encontrado no livro de Números 6.27: “assim porão o meu nome sobre os filhos de Israel e eu os abençoarei”. Pôr o nome de Deus neste caso não é chamá-los por algum nome pessoal dado a Deus, mas abençoar em nome do Senhor, isto é na obediência à Palavra do Senhor, com a autoridade do Senhor Deus.
Jesus Cristo é o Senhor, e é invocado pelos seus servos. Veja as referências:
1 Coríntios 1.2: “à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor tanto deles, como nosso.
“Senhor” neste texto é muito mais do que um pronome de tratamento. Isto fica claro no texto de 2 Coríntios 12.3 que diz: “ninguém pode dizer que Jesus é Senhor senão pelo Espírito Santo”. Se “Senhor” com referência a Cristo fosse somente uma forma respeitosa de chamar, qualquer um poderia assim chama-lo sem a necessidade de revelação da parte de Deus. Mas chamar a Jesus de “Senhor” significa muito mais, é reconhecê-lo como Filho de Deus, que tem portando a mesma essência do Pai. Como diz o texto de João 5.22: “Para que todos honrem ao Filho assim como honram ao Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou”.
Ora, a Bíblia diz que há um só Senhor: “para nós, contudo, há um só Deus, o Pai, de quem é todas as coisas e para quem nós existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, por quem são todas as coisas, e nós outros, por ele.” (1 Coríntios 8.6)
Único Senhor dito neste texto se referindo a Jesus pode ser lido sendo referido ao Pai em Deuteronômio 6.4: “Ouve, ó Israel: o Senhor nosso Deus é o único Senhor.”
Tanto Pai como Filho, são chamados de único Senhor, e a Palavra diz em Romanos 10.13: “por que: todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”.
A grande pergunta é: Se os irmãos em todo lugar invocavam ao nome do Senhor Jesus como disse Paulo no texto de 1° Coríntios cap.1, e se todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo, a quem Paulo clamou para ser salvo? A Bíblia responde então leia com atenção:
Atos 22.14-15:
O Deus de nossos pais te designou de antemão para conhecer a sua vontade, ver o Justo e ouvires uma voz da sua boca, por que hás de ser sua testemunha para com todos os homens das coisas que tens visto e ouvido.  Agora por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava teus pecados, invocando o seu nome.
Quem foi este, chamado de “Justo” a quem Paulo viu, ouviu, foi testemunha, e foi lavado dos pecados pelo batismo invocando o seu nome? Novamente a Bíblia responde:
Atos 9.3-5,17:
“Caminhando ele, ao aproximar-se de Damasco, subitamente resplandeceu em redor dele uma luz do céu; e caindo em terra ouviu uma voz dizer-lhe: Saulo, Saulo, por que me persegues? Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? Respondeu o Senhor: Eu sou Jesus a quem tu persegues.
“Saulo, irmão, o Senhor Jesus que te apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me para que recuperes a vista e fiques cheio do Espírito Santo.”

Diante destas verdades bíblicas, podemos compreender por que a mensagem de Paulo tinha Cristo no início, meio, e fim. Sempre.
Continuemos no livro de 1° Coríntios onde percebemos o teor da mensagem de Paulo, o maior pregador evangélico que já existiu:
Cap. 1, vs. 17: “Pois Cristo enviou-me não para batizar, mas para evangelizar...”
Cap. 1, vs. 23: “mas nós pregamos a Cristo crucificado...”
Cap. 1, vs. 24: “mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus...”
Este é lindo: Cap. 2, vs. 2: “Pois nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado...”
Cap. 3, vs. 11: “Pois ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo”.
Cap. 4, vs. 10: “Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo!”
Cap. 4, vs. 15: ”pois eu pelo evangelho vos gerei em Jesus Cristo...”
Cap. 11, vs. 1: “sede meus imitadores como eu sou de Cristo”.
Filipenses 1.21: “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro”
Gálatas 2.20: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim”
O que foi que Paulo disse ao rei Agripa?
Atos 26.15,18: “Disse eu: Quem és, Senhor? Respondeu o Senhor: Eu sou Jesus a quem tu persegues; mas levanta-te e põe-te em pé; pois para isto te apareci, para te fazer ministro e testemunha, tanto das coisas em que me tens visto, como daquelas que te hei de aparecer; livrando-te deste povo e dos gentios, aos quais te envio para lhes abrir os olhos, a fim de que se convertam das trevas à luz, e do poder de Satanás a Deus, para que recebam remissão de pecados e herança entre aqueles que são santificados pela fé em mim.”
Analise o leitor sem a minha ajuda, pesquise na Bíblia e entenda o que Deus quiser revelar.
Quando eu era mais novo, ainda solteiro, sempre que a campainha tocava pela manhã as pessoas já diziam: “É TJ, vai lá Luis Paulo”. E eu ficava um bom tempo conversando. O interessante é que já me falaram que não existe vida após a morte, que o Espírito Santo não é uma pessoa, que Jesus não é Deus, que o inferno não existe, que só 144 mil vão para o céu, etc. Nunca me disseram “vim falar sobre Jesus com você”. O foco nunca foi Cristo em nossas conversas. Nunca mesmo.
Pergunte a um TJ: O que fazer para ser salvo? Isto mesmo, pergunta a ele: se eu tiver apenas 10 minutos de vida, o que você iria sugerir para que eu me salvasse? Não daria tempo de participar de um estudo, nem de entender tantas doutrinas. Poderia eu ainda assim, do ponto de vista TJ ser salvo?
Certa vez perguntei a uma pessoa muito dedicada no salão do reino: Se eu fosse um criminoso que tomou um tiro durante um assalto, e tivesse apenas uma hora de vida num leito de hospital, que tipo de como você me evangelizaria? Eu teria esperanças de ressuscitar e viver ao seu lado no paraíso? Então este colega fez um belo discurso sobre a misericórdia de Deus, sobre mudança de atitudes, de pedir perdão a Jeová, mas no seu discuso NÃO DISSE SEQUER UMA VEZ O NOME “JESUS”, NEM FEZ QUALQUER REFERÊNCIA AO SACRIFÍCIO DE CRISTO. Chegou a dizer que se tivesse mais tempo, até deveria mostrar que mereço ser salvo, e ainda disse que a morte pagaria os meus pecados, pois o salário de pecado é a morte. Será que é este o evangelho que Paulo pregava?
Como falar de salvação sem falar de Jesus Cristo, que morreu a nossa morte para que vivêssemos a sua vida? Que pagou o preço do nosso pecado, morrendo sobre a cruz? O pecado gera morte, por isto a morte é o salário do pecado, mas quem tira de nós o pecado nos justificando perante Deus, é só Jesus Cristo, pela sua morte e ressurreição.
O ladrão da cruz não teve tempo de ser doutrinado. Foi salvo SOMENTE pela fé em Jesus e é esta fé verdadeira que o Senhor, o nosso Senhor quer plantar em nossos corações. O evangelho que Paulo pregava se baseava não em sabedoria humana, mas em poder de Deus para a salvação. Analisem com o coração aberto, sem as rédeas da religião, e que o Espírito Santo ilumine o vosso entendimento.
Em Cristo, nosso Senhor e Salvador eterno,
Luis Paulo Silva.