Pages

Um espinho na carne


Deus nos dá "espinhos na carne" à medida que recebemos mais dele, para que não sejamos soberbos.

Há muitas especulações a respeito que que seria exatamente o tal "espinho na carne" ao qual Paulo se referiu em 2Co 12.10. De todas elas, eu prefiro a explicação de que se tratava de algum inimigo pessoal de Paulo, que como um "mensageiro de satanás" o perseguia, e que talvez colocasse em cheque a mansidão dele. 
O contexto favorece esta interpretação por pelo menos dois motivos: primeiro, Paulo está defendendo o seu apostolado, e só seria necessário defende-se mediante um ataque direto; segundo, o espinho na carne está ligado no texto ao mensageiro de satanás (opositor).

O espinho. A palavra "espinho" (grego: skolops) nos remete à imagem não de um pequeno espinho que incomodava o apóstolo, mas literalmente à uma estaca que era enterrada na carne, isto é, o espinho não simbolizava mero incômodo, antes, um sofrimento intenso e contínuo. 

As revelações. Paulo recebeu a revelação a qual se refere neste texto, quatorze anos antes, isto remete ao período de solidão que ele passou no deserto da Arábia, ou ao período de quatorze anos que passou em Tarso longe dos holofotes do ministério. Nos momentos de afastamento Deus forja em nós os homens e mulheres que devemos ser.

O perigo do orgulho. Paulo com certeza poderia por conta se sua natureza humana pecaminosa, exaltar-se, usar daquilo que Deus lhe mostrara para tentar sobressair-se aos irmãos. Os dons e privilégios que Deus nos dá não devem ser motivo de autopromoção na igreja, somos todos iguais diante de Deus, e sempre que Deus nos dá algum dom, devemos usá-lo com cuidado para não trazer a glória para o homem.

Um espinho como providência de Deus. Como uma forma de equilibrar a vida espíritual de Paulo, Deus permitiu que satanás o fizesse sofrer de alguma forma, ao ponto de Paulo considerar como uma "estaca na carne".
As adversidades e sofrimentos na vida de Paulo não eram obra do acaso, algo que lhe ocorreu por mera questão de causa e efeito, mas eram efeito da providência de Deus para que Paulo não se tornasse orgulhoso. Há um propósito bem definido por Deus em cada sofrimento que o cristão passa neste mundo. A provações nos aperfeiçoam, conforme podemos ler em 1Pe 1.6-9 e Tg 1.2-4.

O que fazer com o espinho na carne? Paulo recebia o espinho na carne com a mesma submissão que recebia as revelações de Deus. Ele não se alegrava pelas dificuldades em si, mas pelo fato que eram formas de Deus o aperfeiçoar. Alguns textos que nos falam das aflições e provações do apóstolo: 2 Co 12.9-10; Fl 4.11; Rm 8.35-3. Recebamos de bom grado tudo o que Deus nos mandar, pois ele cuida de nós provendo aquilo do que precisamos para que sejamos perfeitos. Murmurar, reclamar, entristece-se, de nada nos é proveitoso, mas precisamos ver além das provações.

Todos temos espinhos! Jesus disse que quem quisesse segui-lo, deveria carregar a sua cruz, que é outro símbolo de sofrimento terreno. Que possamos assim ser moldados por Deus em nossas mentes para vermos a mão de Deus que nos prova, mas não além daquilo que podemos suportar.
Qual é o espinho na sua carne? Como você têm lidado com ele? Você consegue discernir em qual área da sua vida Deus está operando para te aperfeiçoar?
As respostas a estas perguntas pode dar um diagnóstico, e uma direção.

A Deus toda Glória

LPS